sexta-feira, 26 de julho de 2013

Via Sacra emociona peregrinos em Copacabana


Temas atuais envolvendo os jovens ganharam destaque durante a encenação da Via-Sacra que aconteceu na noite desta sexta-feira, 26, na orla da Praia de Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013). Com 13 das 14 estações ao longo de 900 metros da parte central da Avenida Atlântica, e a parte final no palco central, a Via Sacra foi representada por 280 voluntários e narradores.
Antes da Via-Sacra, o Papa Francisco percorreu de papamóvel o trajeto de cerca de quatro quilômetros entre o Forte de Copacabana e o palco. Durante o caminho, o Santo Padre desceu do veículo em dois momentos: para abençoar uma imagem de São Francisco na orla e, em seguida, para cumprimentar os deficientes físicos que iriam participar da encenação.
Dezenas de jovens participaram da apresentação, alguns com a função de carregar a Cruz Peregrina e outros com as bandeiras dos países participantes da Jornada. Já nas estações da Via Sacra, atores e músicos conhecidos do grande público e consagrados da Igreja Católica citavam as passagens bíblicas nos palcos montados. A encenação durou cerca de uma hora e quinze minutos.
A cada estação, a passagem bíblica lida era relacionada a temas atuais, como a defesa da vida, o problema das drogas, a violência que aflige a sociedade, entre outros.
Após a apresentação, o Papa Francisco destacou a presença da cruz na vida dos cristãos e fez três perguntas. “O que a peregrinação da Cruz da Jornada nos últimos dois anos deixou para os jovens brasileiros; o que ela deixou em cada um deles; e o que a cruz ensina?”
O Sumo Pontífice reforçou que Jesus se une aos que estão em dificuldades, aos que sofrem, independentemente do motivo, pois Cristo acolhe a todos de braços abertos. O Papa Francisco também reafirmou que a Igreja e os fiéis não estão sozinhos, já que Ele venceu a morte e oferece fiel amor para a salvação daqueles que creem. Lembrou ainda dos mais de 240 jovens mortos no incêndio da boate Kiss, da cidade de Santa Maria (RS) no início de 2013.
O Papa Francisco questionou os jovens sobre a maneira como desejam carregar a cruz, como Pilatos que lavou as mãos ou como Cirineu, que ajudou Jesus a carregar o madeiro, ou mulheres como Maria e Madalena, que não tiveram medo de continuar a Seu lado. Segundo o Papa, essa é a pergunta que Cristo faz: se os jovens desejam ajudá-Lo a carregar a Cruz nas alegrias e sofrimentos.
Estações
A 4ª estação da Via-Sacra teve como tema “o jovem falando em nome das mães”. Na encenação, Jesus encontra sua mãe aflita. A estação retrata as dores e sofrimentos que as mães sentem por seus filhos, além de trazer diversas mensagens sobre a valorização e defesa da vida.
O destaque foi a participação especial da atriz Cássia Kis, que representou a personagem de Maria, Mãe de Jesus. “Foi muito especial, representar para todos esses jovens de fé, de várias línguas e culturas, me sinto abençoada”, finaliza bastante emocionada.
No mesmo palco, também atuaram diversos voluntários diocesanos. Miriam Santos, 48, da paróquia de Sant´Ana de Campo Grande, conta dos problemas que enfrentou e a superação. “Achei que não conseguiria participar da Jornada Mundial da Juventude por vários problemas, mas graças à Deus acabou dando tudo certo e aqui estou eu junto com minha filha”, disse.
Incenso dos cinco continentes

A orla de Copacabana ficou perfumada durante a Via-Sacra na noite desta sexta-feira, 26. Na celebração, foram queimados 10 quilos de incenso com grãos fabricados nos cinco continentes.Segundo o diretor do setor de Atos Centrais da JMJ Rio2013, padre Renato Martins, os grãos serão queimados em turíbulos levados por 45 coroinhas.
“A ideia é perfumar toda a Avenida Atlântica. Numa missa, o normal é queimar até 50 gramas”, destacou. Os grãos de incenso foram produzidos no Brasil especialmente para a visita do Papa Francisco. Batizado de Urbi et Orbi (Da cidade e para o mundo), o incenso foi fabricado pela empresa “Milagros Incensos de Resina”, do interior de São Paulo. Para o proprietário da empresa, Martinho Rocha, a queima do incenso dos cinco continentes mostrará a união dos jovens de todo o mundo na Jornada.
“Selecionamos ingredientes de todos os continentes e assim, quando o Papa consagrar o incenso, estará também consagrando os povos de todo o mundo. É uma grande responsabilidade e estamos muito felizes por poder participar deste momento histórico” disse.Esse incenso foi usado desde a primeira celebração do Papa Francisco no Brasil, realizada em Aparecida, no dia 24. 
PORTAL OFICIAL DA JMJ

Ângelus com Papa transfere a Praça São Pedro para a Glória

O coração do mundo bate aqui no Rio de Janeiro. E no início da tarde desta sexta-feira, 26 de julho, mais precisamente às 12h, o coração de todos os fiéis e peregrinos uniram-se ao coração do Papa Francisco, que rezou o Ângelus na sacada do Palácio São Joaquim, na Glória.
Momentos antes da aparição do Pontífice na sacada do casarão, milhares de pessoas já se reuniam cantando a “Oração de São Francisco” e a “Consagração a Nossa Senhora”. Ovacionado pela multidão, Papa Francisco agradeceu o acolhimento que tem recebido e ressaltou que espera renovar em todos o amor a Cristo e à Igreja.
— Dou graças à divina Providência por ter guiado meus passos até aqui, na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Agradeço de coração sincero a Dom Orani e também a vocês pelo acolhimento caloroso, com que manifestam seu carinho pelo Sucessor de Pedro. Desejaria que a minha passagem por esta cidade do Rio renovasse em todos o amor a Cristo e à Igreja, a alegria de estar unidos a Ele e de pertencer à Igreja e o compromisso de viver e testemunhar a fé, disse.
Recordando o Dia dos Avós, durante o Ângelus, o Sumo Pontífice destacou também as figuras dos avós de Jesus: São Joaquim e Sant’Ana. Para o Santo Padre, os avós são importantes na família para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé, que é essencial para qualquer sociedade.
— Hoje, a Igreja celebra os pais da Virgem Maria, os avós de Jesus: São Joaquim e Sant’Ana. Na casa deles, veio ao mundo Maria, trazendo consigo aquele mistério extraordinário da Imaculada Conceição; na casa deles, cresceu, acompanhada pelo seu amor e pela sua fé; na casa deles, aprendeu a escutar o Senhor e seguir a sua vontade. São Joaquim e Sant’Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o Filho de Deus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós. Vemos aqui o valor precioso da família como lugar privilegiado para transmitir a fé! Olhando para o ambiente familiar, queria destacar uma coisa: hoje, na festa de São Joaquim e Sant’Ana, no Brasil como em outros países, se celebra a festa dos avós. Como os avós são importantes na vida da família, para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé, que é essencial para qualquer sociedade! E como é importante o encontro e o diálogo entre as gerações, principalmente dentro da família, exortou.
Referindo-se ao Documento de Aparecida, que redigiu durante a 5ª Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe (Celam), realizada em 2007, Papa Francisco ressaltou que “crianças e anciãos constroem o futuro dos povos”.
— O Documento de Aparecida nos recorda: “Crianças e anciãos constroem o futuro dos povos; as crianças porque levarão por adiante a história, os anciãos porque transmitem a experiência e a sabedoria de suas vidas” (DAp 447). Esta relação, este diálogo entre as gerações, é um tesouro que deve ser conservado e alimentado! Nesta Jornada Mundial da Juventude, os jovens querem saudar os avós. Eles saúdam os seus avós com muito carinho e lhes agradecem pelo testemunho de sabedoria que nos oferecem continuamente, destacou.
Após o Ângelus, o Papa participou de um almoço com um grupo de jovens que vivenciam a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013). Eles representam todos os continentes e, de acordo com a organização do evento, dois brasileiros também participam do momento de confraternização.
PORTAL ARQRIO

Papa Francisco passa na frente da Capela Menino Deus

Na tarde dessa quinta-feira, Papa Francisco passou bem na frente da Capela do Menino Deus quando ia para a Catedral de São Sebastião para o encontro com os peregrinos argentinos. Eram por volta de 13h. Infelizmente não temos imagens.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Festa da Acolhida ao Papa atrai 1,5 milhão de pessoas

“Inesquecível Festa de Acolhida em Copacabana! Que Deus lhes abençoe a todos!” , escreveu o Papa Francisco em seu Twitter, no início da manhã desta sexta-feira, 26 de julho. E durante a noite, o Pontífice voltou, junto com milhões de peregrinos, a viver momentos de emoção e espiritualidade com a Via Sacra – um dos Atos Centrais da Jornada Mundial de Juventude (JMJ Rio2013) –, na Praia Fidei, como já está sendo batizada pelos peregrinos a Praia de Copacabana. 
Sempre com um sorriso no rosto, Papa Francisco percorreu toda a orla de papamóvel e enquanto passava, além de beijar e abençoar muitas crianças, também recebeu muitos presentes: bandeiras, terços, imagens de santos, blusas, entre outras coisas, que, durante o percurso, foram sendo jogadas pelos peregrinos dentro do carro oficial do Papa. Ao longo do trajeto, o Sumo Pontífice também desceu do papamóvel algumas vezes para abençoar e estar em contato mais próximo com todos os filhos de Deus que ali foram vivenciar um grande momento de fé.
Recepcionado pela Orquestra Sinfônica de Barra Mansa e pela cantora católica Ziza Fernandes, ao chegar ao palco central, Papa Francisco fez questão de cumprimentar todos os Cardeais que já o aguardavam para o início do momento de fé, amor e compaixão. Com uma linguagem das artes de várias épocas, abrangendo principalmente a arte contemporânea, a “Via-Sacra do Jovem Solidário”, como foi intitulada, teve 14 estações, sendo 13 encenadas ao longo do canteiro central da Avenida Atlântica e, a última, no palco.
Os temas abordados foram: “jovem missionário”, “jovem convertido”, “jovem de comunidade de recuperação”, “jovem falando em nome das mães”, “seminarista”, “religiosa que luta pela vida (contra o aborto)”, “casal de namorados”, “jovem falando pelas mulheres que sofrem”, “estudante cadeirante”, “jovem das redes sociais”, “presidiário ou jovem da pastoral penal”, “jovem com doença terminal”, “jovem deficiente auditivo” e “jovens da África, América do Norte, da América Latina e do Caribe, da Europa, da Ásia e da Oceania” — em um cenário que remontou a cidade antiga de Jerusalém, com um percurso usado nas procissões do século XVI.
— Quando nós recordamos o martírio que Cristo viveu fazemos uma retrospectiva de tudo o que vivenciamos na nossa vida pessoal e familiar. Qual seria a nossa Via Crucis de hoje? O que estamos passando hoje? Esta Via Sacra foi também uma forma de meditar como estamos vivendo em comunidade, em família, dentro da nossa Igreja, e como é bonita a nossa Igreja Católica, disse a jovem Edmar Rodrigues, da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, que desde às 8h45min da manhã já aguardava o início da Via Sacra, na Praia de Copacabana.
— A Via Sacra é uma parte que nos toca grandiosamente porque a gente vivência o sofrimento de Jesus. E a Jornada é isso: é catequese, é comunicação, é fazer novas amizades, é meditar o que Jesus Cristo viveu e sentiu por todos nós, afirmou Renan Silveira, de Tacuru, no Rio Grande do Sul.
Após a encenação da Via Sacra, Papa Francisco destacou que este foi um dos momentos mais fortes da Jornada Mundial da Juventude, pois todos puderam acompanhar Jesus no seu caminho de dor e de amor, junto da Cruz, deixando aos jovens ainda alguns questionamentos.
— No final do Ano Santo da Redenção, o Bem-aventurado João Paulo II quis confiar a Cruz a vocês, jovens, dizendo-lhes: “Levai-a pelo mundo, como sinal do amor de Jesus pela humanidade e anunciai a todos que só em Cristo morto e ressuscitado há salvação e redenção”. A partir de então a Cruz percorreu todos os continentes e atravessou os mais variados mundos da existência humana, ficando quase que impregnada com as situações de vida de tantos jovens que a viram e carregaram. Ninguém pode tocar a Cruz de Jesus sem deixar algo de si mesmo nela e sem trazer algo da Cruz de Jesus para sua própria vida. Nesta tarde, acompanhando o Senhor, queria que ressoassem três perguntas nos seus corações: O que vocês terão deixado na Cruz, queridos jovens brasileiros, nestes dois anos em que ela atravessou seu imenso país? E o que terá deixado a Cruz de Jesus em cada um de vocês? E, finalmente, o que esta Cruz ensina para a nossa vida?, questionou o Santo Padre.
Concluindo seu discurso, o Pontífice exortou:
— Queridos jovens, levamos as nossas alegrias, os nossos sofrimentos, os nossos fracassos para a Cruz de Cristo; encontraremos um coração aberto que nos compreende, perdoa, ama e pede para levar este mesmo amor para a nossa vida, para amar cada irmão e irmã com este mesmo amor, orientou Papa Francisco.

Peregrinos chegam cedo à praia para garantir lugar
Ainda eram 9 horas e a praia de Copacabana já estava recheada de bandeiras de diversos países. Com uma manhã de sol tímido em meio a tantas manhãs chuvosas, os peregrinos aproveitaram para passear pela orla. Mas outros preferiram garantir um espaço junto à grade de proteção para ver o Santo Padre. Desde cedo alguns grupos já se formavam. Muitos não se conheciam, mas partilhavam lanches e histórias de como chegaram ao Rio de Janeiro para esta Jornada. Assim fizeram a família Marchioro Cruz, de São José dos Piais, no Paraná e a caravana da Igreja Nossa Senhora do Amparo, do Rio de Janeiro.

Isabele Marchioto Cruz está em sua primeira Jornada. Ela e a família saíram do Paraná e chegaram ao Rio na terça feira passada. Optaram por virem sozinhos porque o grupo da paróquia em que frequentam em São José dos Piais só viria depois. Isabele ressaltou a importância da meditação da Via Sacra e comentou a sua expectativa para as apresentações das estações da Via Sacra.

A meditação da Via Sacra é um mistério da nossa fé porque a nossa fé, a fé cristã, a fé católica, nasce do sofrimento e depois da ressurreição de Cristo. Outro ponto importante da Via Sacra é a meditação do sofrimento de Cristo,  os seus algoses... Desta forma aprendemos a administrar melhor os nossos sofrimentos e viver em Deus, sofrer na fé aquilo que estamos passando. Minha expectativa para hoje é poder enraizar ainda mais a minha fé e conhecer melhor o sofrimetnto de Cristo para que eu possa então viver os meus  sofrimentos na fé, disse.
Já Edimar Rodrigues, da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, questionou: "Qual seria a nossa Via Crucis de hoje?"
- Hoje vamos estar diante do martírio que Cristo vivenciou. Quando meditamos sobre isso fazemos uma retrospectiva de tudo o que vivenciamos na nossa vida familiar, pessoal, no trabalho.  Qual seria a nossa Via Crucis de hoje? O que estamos passando hoje? Essa é uma forma também de meditarmos como estamos vivendo em comunidade, em família, dentro da nossa Igreja, de uma forma geral, opinou.
Mais à frente um grupo do Mato Grosso do Sul pendurava bandeiras e cartazes na grade para que o Santo Padre visse quando passasse por eles. O grupo está hospedado no bairro de Santíssimo e sairam de lá às 4h 30min. Eles são da cidade de Tacuru e frequentam a Paróquia Saõa Sebastião. Para virem à Jornada, encararam uma viagem de trinta horas, além de um ônibus enguiçado. Mas nada tirou a animação dos meninos, que estavam ansiosos para ter este contato com o Papa Francisco. 

- O que deixa a gente mais felizes é que a gente sabe que a presença do Papa, o Sucessor de Pedro estará aqui, entre nós, então isso deixa os nossos corações ainda mais cheios de alegria. É uma realização e uma emoção muito grande, afirmou Renan Silveira.
Já Lidimaico Vieira destacou o que representa, para ele, a Via Sacra:

-  É uma parte que nos toca gradandiosamente porque a gente vivencia o sofrimento de Jesus, porque, por mais que isso aqui seja uma Jornada Mundial da Juventude, nós já estamos batalhando a tempos para podermos vir ao Rio de Janeiro, esta foi a nossa Via Sacra pessoal. E a Jornada é isto: é comunicação, é poder participar das catequeses, fazer novas amizades, é participar da meditação da Via Sacra e perceber que tudo isso é o que Cristo sentiu por nós, concluiu.

* Foto: Comunicação JMJ Rio2013

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Papa Francisco inaugura pavilhão do Hospital São Francisco


Após cumprir sua agenda oficial na cidade de Aparecida do Norte, Papa Francisco regressou ao Rio de Janeiro e seguiu até o Hospital São Francisco de Assis (HSF), na Usina, para a inauguração de um pavilhão dedicado ao atendimento de dependentes químicos. A solenidade no Hospital foi realizada na noite desta quarta-feira, 24 de julho.
Desde cedo moradores da região da Grande Tijuca já estavam nas ruas, ansiosos pela chegada do Pontífice. Devido ao mal tempo, não foi possível realizar o percurso até o HSF de Papa Móvel, porém, mesmo em carro fechado, o Santo Padre esbanjou sua simpatia, permanecendo com os vidros abertos, apesar do frio, acenando constantemente para os fiéis.
Às 18h19min, Papa Francisco chegou ao Hospital São Francisco de Assis. O primeiro momento foi de oração dentro capela, na companhia do Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta. Logo em seguida o Santo Padre se dirigiu à praça interna do Hospital, onde foi realizada a cerimônia. Mais uma vez Papa Francisco cumprimentou os que estavam pelo caminho: enfermos, deficientes, crianças e membros do hospital receberam a benção do Pontífice que fez questão de atendê-los com carinho.
Um grupo de adolescentes especiais vindos da Argentina entregou ao Papa Francisco uma caricatura do Pontífice e uma relíquia de Santa Cabrini. Eles estão hospedados no Colégio Regina Celi, próximo ao Hospital, e estavam na rua aguardando a passagem do Santo Padre desde o meio dia. Os adolescentes estudam no colégio Madre Cabrini, na cidade de Rosário, que possui uma ala dedicada a crianças especiais. Avistados por um membro da guarda do Vaticano, os adolescentes e as duas diretoras do colégio, Mônica Cano e Claudia Grappa, foram convidados a entrarem no Hospital para participar da solenidade.
- Viemos ver o Papa no Brasil e queremos pedir ao Papa que ele olhe por nós e também pelos nossos amigos, pediu Manoel Costello, de 14 anos
Quem também conseguiu presentear o Santo Padre foi o grupo Doutores da Paz e do Bem, formado por jovens da comunidade Aliança de Misericórdia, que caracterizados de palhaços, fazem a alegria dos enfermos no Hospital São Francisco de Assis. Eles entregaram ao Papa Francisco uma cruz feita de argila. Leidimar Rodrigues testemunhou a sua experiência de contato com o Pontífice:
- Foi muito emocionante porque eu estava com o presente e não sabia como entregar devido à segurança do Papa. Então, fiquei bem próximo à grade e pedi a uma cadeirante para que ela entregasse o presente ao Papa. Quando ele passou por esta senhora, ele pegou o presente e perguntou quem tinha dado. Neste momento a senhora cadeirante olhou para mim e o Papa estendeu a mão na minha direção para agradecer. Ele é a presença de Deus no meio da gente. Não tem explicação. Acho que o despojamento do Papa Francisco de querer ter esse contato com os fiéis é muito bonito, afirmou. 
Trabalho com Dependentes
O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, acolheu o Sumo Pontífice com um discurso iniciado por um trecho do Documento de Aparecida, ao qual o então cardeal Bergoglio foi relator em 2007.
- Estas palavras do Documento de Aparecida tornam-se realidade no dia-a-dia das atividades deste hospital, sem dúvida uma obra de misericórdia e de promoção da dignidade de cada mulher e cada homem, assinalou.
Um dos legados sociais da Jornada Mundial da Juventude, o Pólo de Atendimento Integral à Saúde Mental consiste em uma rede de atendimento aos dependentes, reforçando a promoção de resultados efetivos para o tratamento e a inserção do social. A atenção com os excluídos também é uma das preocupações do Papa Francisco. Durante o seu discurso, o Pontífice criticou a legalização das drogas e classificou o tráfico como uma “chaga” que semeia a dor:
- Abraçar. Precisamos todos de aprender a abraçar quem passa necessidade, como São Francisco. Há tantas situações no Brasil e no mundo que reclamam atenção, cuidado, amor, como a luta contra a dependência química. Frequentemente, porém, nas nossas sociedades, o que prevalece é o egoísmo. São tantos os “mercadores de morte” que seguem a lógica do poder e do dinheiro a todo o custo! A chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia a dor e a morte, exige da inteira sociedade um ato de coragem, afirmou.
O trabalho no hospital estará voltado não apenas com a atenção médica, mas buscará um tratamento completo, integrando os aspectos transcendente e religioso. Este será um ganho importante para a cidade do Rio de Janeiro, onde vivem mais de 600 mil dependentes químicos e apenas 20 leitos disponíveis para atendimento . O Brasil tem dois milhões de dependentes químicos, sendo 50% na região Sudeste.O coordenador do legado social da JMJ Rio2013, padre Manuel Manangão, explicou o projeto da Rede de Tratamento da Dependência Química da Arquidiocese.
- A Missão da Rede é contribuir para o desenvolvimento de ação transformadora das condições de vida de pessoas em situação de dependência química, por meio de trabalho articulado e complementar das instituições da Arquidiocese e parceiros, oferecendo oportunidade de acolhimento, tratamento de dependência química, acesso a direitos assim como promover a capacitação de agentes de prevenção e, integração com as políticas públicas.
Um dos momentos mais emocionantes foi o depoimento de dois jovens recuperados de sua dependência química em instituições católicas.
- Sei, pelo sofrimento e humilhação que passei, o quanto é importante que bons samaritanos e outros franciscos se compadeçam de nós, afirmou um deles que viveu 17 anos sob o vício das drogas e 10 deles como morador de rua. Sob as lágrimas dos jovens recuperados, Papa Francisco os abraçou fraternalmente.
PORTAL ARQRIO

Papa visita a Mãe Aparecida




Nem mesmo uma manhã chuvosa afastou cerca de 150 mil pessoas das ruas de Aparecida. Animados e certos de estarem em comunhão fraterna com o Santo Padre, os féis lotaram a cidade em uma calorosa acolhida. Nesta quarta-feira, 24 de julho, o Papa Francisco esteve na Basílica dedicada à Padroeira do Brasil, de onde presidiu a Santa Missa. Após visitar o local quando ainda era cardeal, por ocasião da 5ª Conferência Episcopal Latino-Americana, o Pontífice retornou à casa de Maria e aproveitou para realizar um momento de devoção própria junto àquela que é a Mãe da Igreja.
Ao passear de papamóvel entre o povo, Francisco acenou e beijou algumas crianças. Já dentro da Basílica, o Santo Padre protagonizou um belo exemplo de fé e piedade Mariana diante da imagem histórica de Nossa Senhora Aparecida. Visivelmente emocionado, o Pontífice consagrou o seu pontificado, iniciado há quatro meses, e pediu pela Jornada Mundial da Juventude.  Em sua oração, Papa Francisco exortou: “Ó Mãe, como Vós, eu abraço minha missão. Em vossas mãos coloco minha vida e vamos, Vós-Mãe e Eu-Filho, caminhar juntos, crer juntos, lutar juntos, vencer juntos, como sempre juntos caminhastes vosso Filho e Vós.”.
Ao iniciar a Santa Missa, o Arcebispo de Aparecida, Cardeal Dom Raymundo Damasceno fez um breve pronunciamento e afirmou que, ao visitar o Santuário, o Pontífice visitou todo o país:
— São milhares de romeiros que peregrinam para este lugar, que foi abençoado pela imagem milagrosa, encontrada no rio em 1717 e até hoje aqui venerada. Peregrinando, eles manifestam o seu afeto filial à Virgem trazendo as suas necessidades, mas guiados pela esperança de fortalecer a fé e alimentar a caridade. Quando o Bispo de Roma se faz também um romeiro de Nossa Senhora, todos nós nos sentimos confirmados na verdade da fé por aquele que preside na caridade todas as Igrejas. (...) Ao visitar este Santuário, Vossa Santidade está visitando todo o Brasil, disse.
Dom Damasceno presentou o Papa Francisco com uma réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida, confeccionada por um artesão local. Por sua vez, o Santo Padre ofereceu ao Arcebispo de Aparecida um cálice.
Com a Basílica lotada, Francisco deu início à Eucaristia. Quem conseguiu participar da celebração no interior do Santuário chegou cedo ao local. Desde a madrugada desta quarta-feira, uma enorme fila já se formava à espera da abertura das portas. Mas mesmo aqueles que não conseguiram ficar dentro do templo, puderam acompanhar pelos telões instalados na área externa do Santuário. Até mesmo a eucaristia foi distribuída para quem estava do lado de fora.
Durante a Homilia, Papa Francisco ressaltou a figura de Maria, aquela que amou e criou Jesus, pedindo a Sua intercessão para aqueles que buscam transmitir aos jovens os valores de um mundo mais solidário e fraterno:
— A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: “Mostrai-nos Jesus”. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria. Assim, de cara à Jornada Mundial da Juventude, que me trouxe até o Brasil, também eu venho hoje bater à porta da casa de Maria, que amou e educou Jesus, para que ajude a todos nós, os Pastores do Povo de Deus, aos pais e aos educadores, a transmitir aos nossos jovens os valores que farão deles construtores de um País e de um mundo mais justo, solidário e fraterno, exortou.
Papa Francisco convidou os fiéis a permanecerem em Deus. O Santo Padre afirmou que Ele caminha ao lado de cada um e exortou os fiéis a não perderem a esperança:
 Quantas dificuldades na vida de cada um, no nosso povo, nas nossas comunidades, mas, por maiores que possam parecer, Deus nunca deixa que sejamos submergidos. Frente ao desânimo que poderia aparecer na vida, em quem trabalha na evangelização ou em quem se esforça por viver a fé como pai e mãe de família, quero dizer com força: Tenham sempre no coração esta certeza! Deus caminha a seu lado, nunca lhes deixa desamparados! Nunca percamos a esperança! Nunca deixemos que ela se apague nos nossos corações, disse.
Após conferir a benção e consagrar a imagem de Nossa Senhora Aparecida, Papa Francisco cumprimentou deficientes e crianças especiais. Logo em seguida, o Pontífice também saudou lideres de outras religiões, parando inclusive para uma breve conversa com muitos deles.
Ao chegar à Tribuna Bento XVI, Papa Francisco falou aos milhares de peregrinos. Simpático e sorridente, ele abençoou os presentes com a imagem de Nossa Senhora Aparecida e pediu novamente aos fiéis que orassem por ele.
“Nos vemos novamente aqui em 2017!”. Essa foi a promessa do Papa Francisco em suas palavras aos peregrinos do Santuário Nacional de Aparecida, após a Missa de hoje que ele mesmo presidiu. As palavras comprometidas do Santo Padre pegaram todos de surpresa, inclusive o arcebispo de Aparecida, cardeal Dom Raymundo Damasceno, que disse algo como um “vou cobrar” ao acolher com alegria as palavras do pontífice.
Em 2017, acontecerá a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba pelos três pescadores. A festa será em sintonia com o Santuário de Fátima, que celebra os 100 anos das aparições de Maria.
PORTAL ARQRIO

terça-feira, 23 de julho de 2013

JMJ é aberta oficialmente diante de 600 mil peregrinos


Logo após a Missa de Abertura da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, realizada em Copacabana, uma coletiva de imprensa foi organizada pelo Setor de Comunicação do Comitê Organizador Local (COL), no Media Center da JMJ Rio2013. Acompanhado do Diretor do Setor, Padre Márcio Queiroz, o Porta-Voz do Vaticano, Padre Frederico Lombardi, fez um resumo das atividades realizadas na última terça-feira, dia 23 de julho.
— Todos nós estamos muito impressionados com a Missa de Abertura desta Jornada, pois de acordo com a Polícia Militar o público ficou entre 500 e 600 mil pessoas e é impressionante a participação destes jovens, pois vimos o entusiasmo deles e, além disso, a cenografia do palco também estava maravilhosa. O Papa não estava presente fisicamente, mas espiritualmente, acompanhou tudo pela televisão, e certamente sua impressão é de alegria com a participação de tantos jovens, afirmou Lombardi.  
O Porta-Voz do Vaticano divulgou ainda que o encontro do Papa Francisco com os peregrinos argentinos será na próxima quinta-feira, 25 de julho, às 12h30min, na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Centro do Rio. Segundo Padre Lombardi, o encontro atende ao desejo do Sumo Pontífice e dos jovens argentinos. Os detalhes não foram divulgados e, de acordo com ele, serão preparados pelos representantes das delegações argentinas.
— Não sabemos se haverá uma oração ou algo particular, disse.
Ainda de acordo com Padre Lombardi uma reunião foi realizada, no Sumaré, entre o responsável pela agenda do Papa, Alberto Gasbarri, o Núncio do Brasil, Dom Giovanni D’aniello, o responsável do Vaticano pela segurança do Papa, general Domenico Giani, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o ministro Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e representantes do ministério da Defesa e da polícia federal. Segundo o sacerdote, a reunião foi para acertar os últimos detalhes da visita do Papa ao Brasil, como a mudança na viagem à Aparecida e o encontro com os jovens argentinos.
— Eles estão continuamente em contato. É uma reunião absolutamente normal, é previsto que se encontrem. Não era em sentido de emergência, disse o porta-voz.
* Colaboração: Comunicação JMJ Rio2013

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Papa Francisco chega ao Rio de Janeiro e emociona multidão

O avião que trouxe o Papa Francisco ao Rio de Janeiro chegou à Base aérea do Galeão às 15h45 desta segunda-feira, 22 de julho, com bandeiras do Vaticano e do Brasil afixadas à janela.
No local, os Símbolos da Jornada — a Cruz dos Jovens e o Ícone de Nossa Senhora, que peregrinam pela Arquidiocese desde o dia 6 — junto de um coral formado por 120 jovens, das igrejas Nossa Senhora da Paz, Ressurreição e Nossa Senhora de Fátima, além de autoridades civis e eclesiásticas aguardavam pelo Pontífice.
O Núncio Apostólico, Dom Giovani D'Aniello, subiu ao avião para recepcionar o Papa, que, ao descer em terras cariocas, às 16h01, foi cumprimentado primeiramente pela presidente da República, Dilma Rousseff, e recebeu de uma jovem um buquê de flores. O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, pôde recepcionar o Santo Padre com um caloroso abraço fraterno.
Ao longo do tapete vermelho, estendido para a passagem do Papa Francisco na saída do avião, as autoridades presentes fizeram fila para cumprimentá-lo. Após, o Pontífice assistiu a apresentação do coral das crianças, que cantaram o hino da JMJ Rio2013 e outras músicas em sua homenagem. 
Do local, o Santo Padre seguiu em carro simples, com janelas abertas, pelo Centro do Rio de Janeiro. Os brasileiros e peregrinos recepcionaram o Papa de forma bastante carinhosa, se aproximando do carro para saúda-lo e tocá-lo. Quando trafegava pela região da Leopoldina, com a grande aproximação dos fiéis, os seguranças passaram a caminhar ao lado do veículo que conduzia o Pontífice. Na Avenida Presidente Vargas, o trânsito tumultuado e a multidão desejosa de acolher Francisco chegaram a bloquear a passagem do carro por alguns instantes, mas sem que isso significasse uma preocupação para ele, que, em momento algum, fechou as janelas. Pelo contrário: saudou a todos e até beijou uma criança no trajeto até a Catedral Metropolitana.
Na chegada à Catedral, às 17h, o papamóvel, pela primeira vez numa viagem internacional, sem possuir os vidros laterais, já aguardava o Pontífice. Dom Orani pôde acompanhar o Santo Padre, no veículo, nesta segunda etapa do trajeto.
O Pontífice seguiu pelo Centro da Cidade, de pé, no papamóvel, sorridente e bastante simpático, cumprimentando a multidão e beijando pelo menos mais quatro crianças.  Orações e Chuva de papel picado, no trajeto, tornaram o momento de encontro entre o povo e seu Papa bastante emocionante.
Os voluntários da JMJ RIO2013, identificados facilmente pelas camisetas amarelas, foram fundamentais no suporte à segurança, fazendo cordões de isolamento para a passagem do Papamóvel, que conduziu o Santo Padre até o Theatro Municipal, acompanhado por uma multidão de fiéis.
No Theatro Municipal, o papamóvel foi trocado por carro fechado, que seguiu até o G-MAR, no Centro, de onde o Papa Francisco pegou o helicóptero até o Campo do Fluminense, ao lado do Palácio Guanabara, para o ato protocolar de recepção, com a presidente da república, Dilma Rousseff, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.

Portal Arq Rio

JMJ Rio 2013 promove debate inter-religioso na PUC-Rio

A programação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013) já começou com o “Encontro Inter-Religioso entre católicos, judeus e muçulmanos” na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Os palestrantes do debate foram unânimes ao apontar o diálogo como ferramenta fundamental para a convivência pacífica entre povos e culturas.
A discussão entre jovens e representantes das religiões esteve focada na unidade entre os que professam a fé em um único Deus. “Começamos a Jornada exatamente no ponto central: poder acolher as diferenças. O Papa Francisco tem insistido muito na importância de saber dialogar com as diferenças. Acho que realmente é esse o espírito que nos move na Jornada”, disse padre Josafá Siqueira, reitor da PUC-Rio. Durante o evento, os debates abordaram o potencial transformador da juventude e os motivos que se tem para seguir os princípios ensinados por Deus através da Sagrada Escritura. “Jovem, vá ao texto sagrado! As atitudes de Deus descrita na Torá é para que nós imitemos. Nós temos que imitar Deus”, comentou o rabino Abraham Shorka.
Para a jovem muçulmana brasileira Samia Isbelle, da equipe de organização do evento, o encontro simboliza a vontade de uma nova vida pautada pela tolerância e amor. “Acho que o fato de estarmos aqui comprovou que as pessoas enxergam que a melhor forma de viver é respeitar um ao outo, conhecer e dialogar”, disse. Fizeram parte da mesa do encontro o arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local (COL), Dom Orani João Tempesta; o rabino Heliel Haber e os sheiks Jihad Hassan e Hamed Mohammed Wali Khan. Também estiveram presentes o presidente da Conferência Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB, José Francisco Biasin (foto à esq.); representantes da Nicarágua, Bolívia, Argentina, El Salvador, Argélia e Espanha.0169 21072013172940
Nesta semana, a PUC-Rio também vai receber mais dois eventos da JMJ Rio2013. Segunda, 22, das 9h às 13h30, será realizada a “Conferência da Sustentabilidade” sobre o “Compromisso da JMJ para a salvaguarda da Criação”. Criado por jovens católicos de várias partes do mundo, a conferência é um dos frutos do legado ambiental da Jornada. A conferência ocorrerá no Auditório do RDC, localizado no interior do campus da Gávea. Na tarde de quarta, o ginásio da PUC-Rio reunirá jovens do Movimento Eucarístico Jovem (MEJ) para momentos de partilha, oração e testemunhos. O encontro será de 16h às 19h.

sábado, 20 de julho de 2013

Jovens monoteístas discutem protagonismo na PUC-Rio

Às vésperas da Jornada Mundial da Juventude, a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), será sede do evento “Juventude Inter-religiosa do RJ”, programado para o domingo, 21 de julho, no Auditório Padre Anchieta.
O evento é realizado pela primeira vez na história das Jornadas, as religiões abraâmicas: judeus, católicos e muçulmanos irão se reunir para apresentar as iniciativas inter-religiosas de cada crença.
Com o tema: “Juventude força de engajamento, força de fé”, o objetivo do evento é promover o dialogo inter-religioso e fomentar a discussão sobre o protagonismo juvenil na construção de um mundo melhor.
A programação será composta de debates, rodas de conversa, vídeos e exposições. Entre os 70 inscritos, jovens do Brasil, da Nicarágua e do Peru.
O encontro terá a presença do arcebispo do Rio de Janeiro e Grão Chanceler da Universidade, Dom Orani João Tempesta, do presidente da Federação Israelita do Rio de Janeiro, Jayme Salomão e do membro da União Nacional Islâmica da Comissão dos Teólogos Islâmicos, Sheik Jihad Hassan Hammadeh.
Entre os convidados: os rabinos Dario Ezequiel Bialer e Eliahu Haber, o cônego Jose Bizon (Comissão de Ecumenismo e fundador da Casa da Reconciliação da Arquidiocese de São Paulo) e do padre Elias Wolf (Comissão de Ecumenismo da CNBB).
Programação
9h - Boas vindas – Fala sobre o Jirj, com acolhida dos jovens provenientes das diversas religiões
9h15 - Palavra dos líderes de cada comunidade religiosa
9h30 - Falas dos jovens das três religiões (Católica, Judaica e Muçulmana)
10h30 - Rodas de conversa com um moderador, sobre questões pertinentes as falas anteriores;
11h20 - Plenária com os temas debatidos nas rodas de conversa, pelos moderadores, e abertura para possíveis perguntas
12h – Leitura da previa do documento fruto das rodas de conversa e vídeo de encerramento
12h20- Exposição de objetos das religiões e encerramento
Extras:
Jovens que vão falar no Debate: Rodrigo Baumworcel (judeu), Aline Barbosa (católica) e Fernado Celino (muçulmano)

sexta-feira, 5 de julho de 2013

PEREGRINAÇÃO DOS SÍMBOLOS DA JMJ NO RIO DE JANEIRO

06 - Primeiro dia - Sábado
7h - Chegada dos Símbolos da JMJ em Santa Cruz vindos da Diocese de Itaguaí para a Igreja de São José (Av. João XXIII, 222 - Santa Cruz).
Procissão da (Av. João XXIII, 222 - Santa Cruz) até a (Praça Ruão, 35 - Santa Cruz).
9h - Celebração de acolhida dos Símbolos da JMJ – (Praça Ruão, 35 - Santa Cruz) em frente ao Batalhão de Engenharia.
10h30 – Translado dos Símbolos da JMJ do local do receptivo para a Igreja Nossa Senhora da Conceição (Praça Dom Ramualdo, 11 - Santa Cruz) passando em carreata pelo cemitério de Santa Cruz (Rua da Verdade, s/n ).
Permanência para veneração na Igreja Nossa Senhora da Conceição (Praça Dom Romualdo, 11 - Santa Cruz).
15h30 – Carreata com os Símbolos da JMJ da Igreja Nossa Senhora da Conceição até a Catedral (Av. Padre Guilherme Decaminada, Av. Brasil, seguindo até à Catedral).
16h – Início da Festa do Acolhimento - Encontro Arquidiocesano na Catedral (Av. Chile, 245 - Centro - Rio de Janeiro).
17h – Chegada dos Símbolos da JMJ na Catedral. Missa e Benção com as famílias acolhedoras dos peregrinos nacionais e internacionais da JMJ Rio2013 (Av. República do Chile, 245 - Centro).
18h30 – Procissão até os Arcos da Lapa para início do evento “No coração da Jornada” (Praça Cardeal Câmara, s/n).
00h30 – Término do Evento com procissão passando pela Lapa para retornar com os Símbolos da JMJ à Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro).

07 - Segundo Dia - Domingo
8h – Missa na TV Brasil (Av. Gomes Freire, 474 - Centro).
10h30 – Encontro com todas as espiritualidades e movimentos marianos.
Santuário da Medalha Milagrosa (Rua Doutor Satamini, 333 Tijuca).
12h – Hospital São Vicente de Paulo (Rua Doutor Satamini, 333 Tijuca).
13h - Convento da Ajuda
19h – Missa Solene – Basílica Nossa Senhora de Lourdes (Av. 28 de Setembro, 200 - Vila Isabel).

08 - Terceiro Dia - Segunda-feira
8h - Projac (Estrada dos Bandeirantes, 6900, Jacarepaguá)
14h – Hospital Curupaiti (Rua Godofredo Viana, 64 – Taquara)
20h - Missa na Igreja Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Santo Antônio de Lisboa (R. Bacairis, 390 - Taquara).

09 - Quarto Dia - Terça-feira
8h – Unidade Municipal de Reinserção Social (UMRS) Rio Acolhedor Paciência (Av. Hermínio Aurélio Sampaio – Santa Cruz)
10h – Visita aos Presídios de Bangu (Estrada General Emilio Maurell Filho, 1900)
16h – Visita dos Símbolos da JMJ à Escola Municipal Tasso da Silveira (R. Gen. Bernardino de Matos, s/nº - Realengo)
19h – Procissão da Juventude saindo da Praça do Canhão s/n - Realengo
20h - Missa na Igreja Nossa Senhora da Conceição (Av. Santa Cruz, 1.125– Realengo)

10 - Quinto Dia - Quarta-feira
Saída da Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro).
8h - Encontro com os militares no monumento aos pracinhas (Av. Infante D. Henrique, 75, Glória).
11h - Quartel Central dos Bombeiros (Praça da República, 45 - Centro) e Quartel Central da Polícia Militar (R Evaristo da Veiga 78 - Centro).
12h - Prefeitura (Rua Afonso Cavalcanti, 455 – Cidade Nova).
16h - Palácio Guanabara (R. Pinheiro Machado s/n - Laranjeiras).
18h30 - Programação Cultural na Candelária (Praça Pio X - Centro) com apresentação do grupo “Pacific Boy Choir” - coral de Jovens da Califórnia - EUA.

11 - Sexto Dia - Quinta-feira
8h - Hospital Souza Aguiar (Praça da República, 111 – Centro)
8h45 - Visita à Ordem Terceira da Penitência (R. Conde de Bonfim, 1033 - Tijuca)
10h – Encontro dos Religiosos no Colégio Santa Marcelina (Estrada do Açude, 250 – Alto da Boa Vista)
12h30 - UERJ – Encontro dos jovens universitários (Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã )
13h - Almoço
14h30 - Capela São José (Rua Hilário Ribeiro, 205 - Tijuca) (Vila Mimosa).
15h30 - INCA 1 (Praça Cruz Vermelha, 23 – Centro )
15h40 - Chefia da Polícia Civil (Rua da Relação, 42 – Centro )
16h - Santuário de Sant’Ana (Praça Cardeal Dom Sebastião Leme, 11- Centro)
17h15 - Percurso a pé - Sant’Ana até à Central do Brasil
17h30 - Central do Brasil – Flash Mob + Secretaria de Segurança (Praça Cristiano Ottoni, s/nº, GARE - Centro)
19h – Missa Solene no Santuário de Adoração Perpétua – Sant’Ana (Praça Cardeal Dom Sebastião Leme, 11- Centro) + Vigília

12 - Sétimo Dia - Sexta-feira
10h - Saída de Sant’Ana (Praça Cardeal Dom Sebastião Leme, 11- Centro)
10h30 – Instituto Nacional de Educação de Surdos (Rua das Laranjeiras, 232 – Laranjeiras)
11h - Deslocamento para o Corcovado (Rua Alice, Santa Tereza, Estrada das Paineiras)
12h - Cristo Redentor (Estrada do Redentor, s/n - Alto da Boa Vista) (30’)
13h30 - Almoço no Seminário S. José (Av. Paulo de Frontin, 568 - Fundos - Rio Comprido)
14h – Visita à Casa do Padre (Av. Paulo de Frontin, 568 - Fundos - Rio Comprido)
15h - Congresso - Seminário S. José (Av. Paulo de Frontin, 568 - Fundos - Rio Comprido)
18h – Missa com seminaristas dos diversos seminários da cidade
19h30 - Jantar no Seminário S. José
20h30 – Via Sacra e Via Mater com seminaristas até à Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)
22h - Vigília dos Jovens adoradores – Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)

13 - Oitavo Dia - Sábado
7h - Saída da Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)
9h – Missa no Santuário da Penha – Transmissão Rede Vida – Rio Celebra – Indulgência
Ano da Fé + Peregrinação da Pastoral da Saúde na concha acústica (Estrada da Penha, 19 - Penha)
10h30 - Subida dos Símbolos da JMJ ao Santuário pela escadaria e oração do terço e
Angelus
13h - Saída do Santuário da Penha.
14h - Complexo do Alemão. Missão no Alemão
18h - Noite de louvor no Complexo do Alemão com bandas do vicariato Leopoldina.
22h - Retorno à Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)

14 - Nono Dia - Domingo
Saída da Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)
9h - Baía de Guanabara e Ilha de Paquetá – Saída do Centro Cultural da Marinha (Av.
Alfred Agache, s/nº - Centro) ou Primeiro Distrito Naval (Praça Mauá, 65 – Centro),
seguindo para a Igreja Senhor Bom Jesus do Monte em Paquetá (Praia dos Tamoios, 45 -
Ilha de Paquetá) (2 embarcações).
14h – Chegada dos Símbolos da JMJ na Praça XV com procissão para a Igreja Nossa
Senhora da Candelária (Praça Pio X - Centro).
15h - Missa com os Símbolo da JMJ na Candelária (Praça Pio X - Centro).
16h – Chegada dos Símbolos da JMJ na Folia com Cristo; pernoite na Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro).

15 - Décimo dia - Segunda-feira
12h – Praça Saens Penã s/n.
14h30 - INCA 4 (Rua Visconde de Santa Isabel, 274 – Grajaú). Terço da Misericórdia
19h – Pré-Estréia Filme JMJ: “ World Youth Days”
Shopping Tijuca (Av. Maracanã, 987 – Tijuca ).

16 - Décimo primeiro dia - Terça-feira
9h – Morro do Vidigal (Largo do Vidigal em frente ao Colégio Stella Maris; Est Vidigal, 75 - Vidigal).
12h – Largo do Machado, s/n.
14h30 - Instituto Benjamin Constant (Av. Pasteur, 350 - Urca)
16h - Basílica da Imaculada Conceição (Praia de Botafogo, 266 - Botafogo) - Encontro das crianças e escolas católicas - ênfase em Odetinha
17h - Oração do terço na Praia de Botafogo (Em frente à Basílica Imaculada Conceição; Praia de Botafogo, 266 - Botafogo).
20h – Missas Solenes nas igrejas do entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas
Permanência dos Símbolos da JMJ na Missa da Igreja São José da Lagoa (Av. Borges de Medeiros, 2.735 - Lagoa).
Igrejas: Santa Margarida Maria (Rua Frei Solano, 23 - Lagoa), Nossa Senhora da Paz (R. Visc. de Pirajá, 339 - Ipanema), Santos Anjos (Av. Afrânio de Melo Franco, 300 - Leblon), Divina Providência (Rua Lopes Quintas, 274 - Jardim Botânico), Nossa Senhora da Conceição (R. Marques de São Vicente, 19 - Gávea), São Paulo Apóstolo (R. Barão de Ipanema, 85 - Copacabana), Santa Mônica (Av. Ataulfo de Paiva, 527 - Leblon).
21h - Abraço JMJ à Lagoa Rodrigo de Freitas - Tom Ecológico
Retorno ao Palácio S. Joaquim (R. da Glória, 446 - Catete).

17 - Décimo segundo dia - Quarta-feira
8h - Saída para o Pão de Açúcar
10h - Missa no Pão de Açúcar
12h - Angelus no Palácio São Joaquim (R. da Glória, 446 - Catete).
12h30 - Procissão a pé até o Edifício Cardeal Arcoverde - COL S. José (Rua São José, 90 – Centro) passando pela Cinelândia e Largo da Carioca.
13h30 - Missa na Igreja Nossa Senhora do Parto (Rua São José, 90 - Centro) – Ação Pró-Vida.
14h30 - Procissão a pé para o Palácio Tiradentes
15h - Palácio Tiradentes - ALERJ (Rua Primeiro de Março, s/º - Praça XV)
18h - Missa na Capela da PUC (Rua Marquês de São Vicente, 225 - Gávea) - Encontro e
Prêmio dos jovens empreendedores – PUC – Instituto Gênesis e MAGIS.
21h – Adoração ao Santíssimo – Igreja Imaculada Conceição (Rua Humberto Cozzo, 41 - Recreio dos Bandeirantes).

18 - Décimo terceiro dia - Quinta-feira
9h - Laudes Igreja da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt (Est. dos Bandeirantes, 13833 - Vargem Pequena)
10h - Encontro do Clero no Santuário de Nossa Senhora de Fátima (Av. Alfredo Baltazar da Silveira, 900 - Recreio dos Bandeirantes)
12h – Angelus no Santuário de Nossa Senhora de Fátima
13h - Almoço do Clero e equipe
16h - Igreja Santa Luzia ( Av. das Lagoas, 12 - Gardênia Azul).
17h – Paroquia São João Batista (Estrada de Jacarepaguá, 4450 - Rio das Pedras)
19h – Rocinha – Procissão Luminosa do futuro Metrô São Conrado passando pelo Largo do
Boiadeiro até a Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem ( Est. da Gávea, 445 - Rocinha)
Levar os Símbolos da JMJ a pé pelo morro até à Gávea e seguir para Catedral (Av. República do Chile, 245 - Centro)

19 - Décimo quarto dia - Sexta-feira
10h – Missa na praça em frente à Igreja Nossa Senhora das Graças – Marechal Hermes (Rua Capitão Rubens, 15 - Marechal Hermes)
11h - Benção dos enfermos do Hospital Carlos Chagas
12h - Angelus – Hospital Carlos Chagas (Rua Gal. Osvaldo Cordeiro de Faria, 466 – Marechal Hermes)
12h30 - Igreja São Sebastião - Base Aérea do Campos dos Afonsos (Av. Duque de Caxias, 760 - Vila Militar - Deodoro)
13h - Almoço no Campos dos Afonsos (Av. Duque de Caxias, 760 - Vila Militar - Deodoro)
14h30 – Santuário Divina Misericórdia – Vila Valqueire (R. Divina Misericódia, s/n – Vila Valqueire)
15h – Terço da Misericórdia transmitido pela Rádio Catedral - local acima
17h - Paróquia São Luiz Gonzaga( Rua Manoel Martins, 43 - Madureira) para à Igreja
São Brás (Rua Andrade Figueira, 158 - Madureira) a pé - Rua Edgar Romero - Calçadão de Madureira
18h30 – Missa na Igreja São Brás – Madureira (Rua Andrade Figueira, 158 - Madureira)
20h – Partindo da estação Mercadão de Madureira para a estação Central do Brasil. Após trajeto de trem, segue-se a pé para à Candelária.
22h – Missa e Vigília na Candelária (Praça Pio X - Centro), pelos jovens vítimas da violência urbana (violência, drogas, trânsito, etc).
00h - Término da Vigília
Ao término da Vigília, os Símbolos da JMJ são levados para a Catedral

20 - Décimo quinto dia - Sábado
9h - DEGASE
Centro de Socioeducação Gelso de Carvalho Amaral (CENSE-GCA)
(Estrada do Caricó, 111 – Galeão – Ilha do Governador)
Centro de Socioeducação Dom Bosco
(Estrada dos Maracajás, s/nº - Galeão – Ilha do Governador)
12h - Almoço na Igreja Nossa Senhora do Loreto (Est. do Maracajá, 635 - Galeão).
14h -Escola João Luiz Alves (EJLA)
(Estrada das Canárias, 569 – Galeão – Ilha do Governador)
Centro de Socioeducação Professor Antônio Carlos Gomes da Costa
(Estrada dos Maracajás, s/nº - Galeão – Ilha do Governador)
18h - Catequese de D. Orani e Cardeal Rylko na Catedral
20h – Chegada dos Símbolos da JMJ na Quadra de Samba da Mocidade Independente de Padre Miguel (Rua Tamarindo, 38 – Padre Miguel)
00h - Símbolos da JMJ de Padre Miguel para à Paróquia de Sant’Ana (Estrada do Mendanha, 208 - Campo Grande).

21 - Décimo sexto dia - Domingo
Visita às praias cariocas:
8h - Saída da Igreja de Sant’Ana (Estrada do Mendanha, 208 - Campo Grande).
9h – Jesus no Litoral (Trio Elétrico com início da Praia do Recreio em direção à Barra da Tijuca).
14h - Jovens do Movimento de Schoenstatt (Trio Elétrico do inicio da praia do Leblon em direção à Ipanema).
18h – Missa no Arpoador

22 - Décimo sétimo dia - Segunda-feira
10h – Presença dos Símbolos da JMJ na Expo-Católica – RIOCENTRO (Av. Salvador Allende, 6555 - Barra da Tijuca)
14h - Saída dos Símbolos da JMJ para o palco na Praia de Copacabana

Translate