domingo, 26 de agosto de 2012

O dia em que o Papa passou perto da Capela do Menino Deus

Era o dia 30 de setembro de 1997, quando o Papa João Paulo II passava pela Praça Cruz Vermelha no papamóvel durante o Encontro Mundial com as Famílias. Em seguida passou pela Avenida Henrique Valadares com o cruzamento da Avenida Gomes Freire (ponto máximo que um Pontífice se aproximou da Capela Menino Deus). 

Naquela mesma semana, o Papa presidiu cerimônias na Catedral de São Sebastião, no Estádio do Maracanã e no Aterro do Flamengo.

Papa na Praça Cruz Vermelha

Papa acompanhado de Dom Eugênio Sales no papamóvel

Vídeo de Momentos do Papa no Rio de Janeiro

sábado, 25 de agosto de 2012

Vicentinos na busca de um milagre...



A grande motivação que toma conta da Sociedade de São Vicente de Paulo em todo o mundo é intensificar as orações para seja comprovado mais um milagre pela intercessão de Frederico Ozanam. Para motivar o acontecimento, o Conselho Geral Internacional lançou uma nova oração específica para ser rezada pelos membros da instituição em todas as reuniões. Durante visita ao Brasil no início do mês, o confrade Michael Thio, presidente internacional, explicou que o Vaticano aguarda a comprovação de um milagre, como o ocorrido no Brasil. "Argumentamos que o maior milagre é a SSVP estar viva e atuante até os dias atuais transformando a vida de milhões de pessoas em todo o mundo, mas é preciso seguir as normas canônicas e por isso precisamos contar com as orações de todos os vicentinos", comentou o presidente geral.
Uma comissão foi criada pelo Conselho Geral para coordenar os trabalhos em prol da canonização de Frederico Ozanam. O presidente responsável, Amin de Tarrazi, durante a última reunião do CGI na Tailândia, informou que há um constante diálogo com o Comitê de Postulação de Causa para que haja a comprovação de um milagre. Na América do Sul foi criado no Chile um escritório para reunir todo o material que pode colaborar no processo. Junto ao local, em Santiago, está o Santuário de Ozanam. No Brasil, os vicentinos podem enviar materiais que possam comprovar um milagre pela intercessão do fundador principal da SSVP para o Conselho Nacional. 

Foto-placa colocada na Catedral de Notre Dame onde Ozanam foi beatificado há 15 anos. 
Fonte-Redação do SSVPBRASIL

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Arquidiocese do Rio se prepara para Romaria a Aparecida


No próximo sábado, dia 25 de agosto, os fiéis da Arquidiocese do Rio de Janeiro participarão da romaria anual ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. Na ocasião, o Arcebispo Metropolitano, Dom Orani João Tempesta, os bispos auxiliares, o clero e todo o povo de Deus darão um sinal de sua unidade para mais uma manifestação de afeto e devoção à Virgem Maria. Os ônibus sairão de todos os vicariatos na noite de 24 de agosto, sexta-feira.

Considerada pelos próprios padres redentoristas, responsáveis pelo Santuário Nacional, como a maior peregrinação organizada que vai em romaria a Aparecida, a peregrinação deste ano tem como motivação a intercessão pela Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no Rio de Janeiro em 2013.

A primeira romaria aconteceu em 1902, motivada pelo Cardeal Joaquim Arcoverde, em preparação ao jubileu áureo da proclamação do Dogma da Imaculada Conceição, que aconteceria dois anos depois. Mas foi a partir de 1931 que a peregrinação ganhou maior impulso, após a visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida ao Rio de Janeiro, quando foi proclamada Padroeira do Brasil.

Em artigo publicado no Portal da Arquidiocese, Dom Orani explicou que a prática da peregrinação relembra a peregrinação do povo hebreu, que por 40 anos foi em busca da terra prometida: 


“O êxodo desse povo prefigura a vida do cristão em busca da pátria celeste. E, assim como o povo eleito no longo caminho para a libertação foi aos poucos se purificando dos vícios adquiridos no exílio, com essa motivação, o cristão, em uma peregrinação, deve aproveitá-la como uma oportunidade de purificação e de reconciliação com Deus, renovando sua vida.”.

A programação da Romaria começa às 6h30min, com a concentração na Tribuna do Papa. Às 7h será o inicio da recitação do terço, às 8h o deslocamento para o interior da Basílica, às 9h Missa presidida por Dom Orani seguida da recitação do terço e via-sacra no Morro do Cruzeiro.
* Fotos: Arquivo

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Conheça o trabalho vicentino no Brasil

Prezados amigos da SSVP, 
Convidamos a todos para acessarem o site oficial da Sociedade de São Vicente  de Paulo- www.ssvpbrasil.org.br que possui informações exclusivas do trabalho vicentino
E ajude-nos a divulgar o site. 
Atenciosamente, 
Departamento Nacional de Comunicação da Sociedade de São Vicente de Paulo


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sino da Capela é localizado

O sino principal da Capela do Menino Deus, talvez a única relíquia que permaneceu da antiga Capela, foi localizado durante as obras no prédio anexo. O sino tem o ano de sua fabricação gravado nele. É de 1834. Do outro lado, há uma imagem em relevo da Imaculada Conceição de Nossa Senhora. A ideia é que futuramente, após as reformas da Igreja o sino seja utilizado novamente após várias décadas guardado.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

domingo, 19 de agosto de 2012

Sábado de limpeza no altar da Capela

No ultimo sábado, realizamos limpeza no altar do Menino Deus com trocas de lâmpadas.
Aproveitamos, para registrar algumas fotos inéditas.

sábado, 18 de agosto de 2012

História da imagem do Menino Deus de nossa Capela


Primeira Imagem
            A primeira imagem do Menino Deus foi levada por Jacinta em 1742. Com uma estatura pequena, a imagem é vestida por uma roupa com tecido geralmente branco, uma coroa na cabeça e com os braços abertos em sinal de acolhida. Com a ruína da antiga Capela no século XIX, o orago foi levado para junto às Irmãs no Carmelo de Santa Teresa e desde então fica sempre num pequeno altar perto da porta principal do claustro. Conta-se que cada vez que uma jovem é admitida, a Madre do convento entrega-lhe esta imagem e ela fica em sua cela durante uma semana.

            A imagem que vemos no altar da atual Capela, foi oferecida pelas Irmãs do Convento na reabertura da Igreja em 1925. Com uma altura bem superior ao da imagem anterior, o Menino Jesus está com as mãos em posição de bênção, calçando sandálias e usando uma coroa.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

+ Nota de Falecimento

Comunicamos o falecimento de Dona Clotilde nesta quinta-feira, dia 16 de agosto. Dona Clotilde era um exemplo de fé e fiel devota do Menino Jesus e frequentadora assídua de nossa Capela mesmo na enfermidade junto com o seu esposo.

Fica aqui as nossas orações e nossa justa homenagem.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Prédio Anexo da Capela está em obras


Cerca de 30 dias, o Prédio Anexo da Capela está em obras. O prédio de 4 andares pertence à Sociedade São Vicente de Paulo e foi erguido no século passado. A obra está prevista para terminar no primeiro semestre de 2013. 

Conforme informado anteriormente no Blog, a Capela do Menino Deus também deverá passar por reformas, mas só após o término das obras do prédio dos vicentinos.


sábado, 11 de agosto de 2012

A Missão de servir no altar

Coroinha, acólito, servidor do altar. São vários os nomes, mas a função é só uma: servir o altar. Os meninos e meninas que ajudam os clérigos durante as celebrações litúrgicas comemoram no dia 15 de agosto o dia de seu padroeiro, São Tarcísio, e assim também o Dia dos Coroinhas.
São Tarcísio foi coroinha na Igreja de Roma por volta do terceiro século e serviu ao altar, acompanhando o Papa Sisto II nas celebrações eucarísticas. Ele esteve disposto a servir a Igreja por Jesus Cristo até o final de sua vida, quando foi apedrejado por alguns rapazes até morrer (leia mais sobre a vida do santo no box). Hoje, os coroinhas seguem o exemplo de vida de São Tarcísio.
coroinha acolito
De uma forma geral, conforme retratam as imagens na entrada da Igreja da Ressurreição no Arpoador (fotos), usam túnica vermelha com sobrepeliz branca (veste oficial). Nas missas, possuem funções litúrgicas. Entre elas, estão as funções de turiferário, librífero, cruciferário e cerimoniário. Turiferário é o nome atribuído ao coroinha que manuseia o turíbulo, utilizado para a incensação durante celebrações solenes; librífero é aquele que leva o Missal Romano, livro que contém a Liturgia das missas; cruciferário é quem “porta” a Cruz celebrativa, levando-a até o altar durante a procissão de entrada e retirando-a na saída; e cerimoniário é o coroinha que auxilia o padre a ler as orações no Missal e que é o responsável para que tudo esteja organizado na missa.
Celeiro de vocações sacerdotais e religiosas
No exercício desse serviço nas missas, alguns coroinhas sentem-se chamados por Deus a seguir a vocação sacerdotal ou religiosa. Segundo o responsável pelos coroinhas do Vicariato Leopoldina, padre Klepler Magalhães, muitas vocações brotam de jovens que começam inicialmente ajudando os sacerdotes e, com o testemunho desses sacerdotes e tudo o que eles vivenciam no serviço a Deus, também se sentem chamados ao sacerdócio.
“Desde pequenos, os coroinhas tem esse amor a Deus, à Eucaristia e à Igreja. Estando nesse grupo, o padre tem como acompanhar mais de perto e fazer com que eles, caminhando nas etapas, sobretudo as mais difíceis da juventude, cresçam numa maturidade de fé”, destacou.
coroinha acolito
A coordenadora do grupo de coroinhas da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, Eliane Gomes, disse que estes anos em que está auxiliando os coroinhas foram de muito aprendizado, sendo também uma grande responsabilidade e desafio.
“Foi uma responsabilidade porque o grupo de coroinhas é um celeiro de vocações sacerdotais e religiosas e um desafio porque o grupo é formado por crianças e adolescentes de 5 a 18 anos, e sempre me perguntei como mostrar a essas crianças e adolescentes o caminho para o Reino dos Céus”, destacou.
Para se informar como fazer parte do grupo dos coroinhas, os jovens podem procurar o pároco da paróquia que frequentam.
Fonte: jornal Testemunho de Fé - Renato Francisco
São Tarcísio
Mártir da Igreja dos primeiros séculos, São Tarcísio, como um dos integrantes da comunidade cristã romana, foi vítima da perseguição do imperador Valeriano, em Roma, Itália.
São Tarcísio era acólito do Papa Sisto II, acompanhando-o na celebração eucarística.
são tarcisio mártir coroinha acolito altar servo
Durante o período das perseguições, os cristãos eram presos, processados e condenados a morrer pelo martírio e, nas prisões, desejavam receber o conforto final da Eucaristia. Mas era impossível entrar. O Papa Sisto II queria levar a hóstia consagrada a mais um grupo de mártires que esperavam a execução e São Tarcísio pediu ao Santo Padre que o deixasse tentar. Ele tinha 12 anos. Comovido, o Papa Sisto II abençoou-o e deu-lhe uma caixinha com as hóstias. Mas, São Tarcísio não conseguiu chegar à cadeia, sendo identificado no caminho, e, como se recusou a dizer e entregar o que portava, foi apedrejado até morrer.
Depois de morto, foi revistado e nada acharam do sacramento de Cristo. Seu corpo foi recolhido por um soldado, simpatizante dos cristãos, que o levou às catacumbas, onde foi sepultado.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Dia dos Pais terá Missa Comunitária

No próximo domingo, 12 de agosto, as Missas em nossa Capela serão comunitárias na intenção dos Pais. É só procurar a Sacristia até o momento da Missa para colocar a intenção.

Missas às 8h e 9h

domingo, 5 de agosto de 2012

Feliz dia do Padre!

Neste domingo, foram celebradas Missas na Capela em intenção dos sacerdotes de nossa Igreja, em especial nosso Pároco Padre Eduardo. Colocamos em oração nosso Pároco Emérito, Padre Abdias que se encontra enfermo e outros Padres que já foram capelães nos últimos anos, como os Padres Sérgio, George, José e Pio. Não deixando também de homenagear nosso Arcebispo Dom Orani e nosso Papa Bento XVI.



Padre Eduardo Henrique Braga (Desde março de 2011)
Carioca, Padre Eduardo assumiu nossa Paróquia de Santo Antônio dos Pobres em março de 2011 após anos de estudo de Filosofia e Teologia em Roma. Consequentemente, assumiu também a Capela do Menino Deus onde desde então é o Capelão.

Padre Sérgio Marcos Sá Ferreira (2009 a 2011)
Carioca, Padre Sérgio assumiu a Paróquia de Santo Antônio dos Pobres em janeiro de 2007. A Capela do Menino Deus só assumiu em 2009. Padre Sérgio era Capelão do Corpo de Bombeiros e dava assistência no Quartel Central no Campo de Santana. Foi transferido pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, para a Paróquia de São Sebastião em Parada de Lucas.

Padre George Toufik Khoury (2005 a 2009)
Sírio, de sotaque inconfundível, era Pároco da Igreja do Rito Melquita de São Basílio na Rua República do Líbano. Assumiu a Capela do Menino Deus em 2005 após o convite da Paróquia de Santo Antônio onde ajudava o Padre Abdias na época. Saiu da Capela em 2009 para se dedicar melhor à sua Paróquia e aos estudos.

Padre José Malenga (2002 a 2005)
Angolano, Padre Malenga chegou na Capela em 2002 à convite de seu antecessor, Padre Pio que estudava juntos na mesma faculdade e já se conheciam antes. Padre Malenga também ajudava na Igreja de Nossa Senhora da Salette no Catumbi. Saiu da Capela em 2005 para voltar para sua terra natal de Angola.

Padre Geraldo Pio (1996 a 2002)
Mineiro, Padre Pio assumiu a Capela do Menino Deus em 1996 após convite dos Padres João e Carlos, seus antecessores. Capelão da Aeronáutica, Padre Pio foi transferido para Belém do Pará e com isso deixou a Capela em 2002.

Padres João, Carlos, Elisiário e Raimundo (1989 a 1996)
Com exceção do Padre Raimundo, os outros eram Capelão da Marinha e davam assistência à Capela do Menino Deus em sistema de rodízio. Após alguns anos, tiveram a necessidade de se afastar da Capela por causa de seus serviços militares. A primeira foto que segue é do Padre Raimundo e a outra é do Padre Elisiário.

Padre Abdias Lopes (Pároco de 1992 a 2007)
Padre Abdias, nascido no Rio Grande do Norte, assumiu a Paróquia de Santo Antônio dos Pobres em 1992 e dava assistência à Capela do Menino Deus quando necessário. Pediu renúncia da Paróquia em 2007 por problemas de saúde e desde então assumiu como Pároco Emérito onde realiza sua missão sacerdotal na medida do possível.

Dom Orani João Tempesta (Arcebispo do Rio de Janeiro desde 2007)
Celebrou Missa na Capela do Menino Deus em 11 de novembro de 2010 em visita à Sociedade de São Vicente de Paulo.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Maria de Nazaré de volta ao Rio


Após visitar a cidade de Saquarema, na Arquidiocese de Niterói, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré retornou à cidade do Rio de Janeiro na manhã desta sexta-feira, 3 de agosto, para espalhar a Boa Nova de Jesus Cristo.

A imagem chegou em carro fechado à Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, em seguida, foi rezado o terço na Capela do Santíssimo. Para que a imagem da Virgem de Nazaré ficasse ainda mais bonita em sua peregrinação pela cidade, a Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense doou uma berlinda, uma espécie de andor artístico, que é réplica da berlinda usada no Círio de Nazaré em Belém.

De lá o cortejo seguiu para a Igreja de São Sebastião, na Tijuca onde foi acolhida pelo pároco, Frei Paulo Roberto. A Igreja dos Capuchinhos que realiza o círio de Nazaré há quase 70 anos no mês de outubro, recebeu a imagem da Virgem com festa.  Frei Paulo Roberto ressaltou a devoção à Nossa Senhora:

— Temos um altar aqui na Igreja dedicado à Nossa Senhora de Nazaré e aqui realizamos também o Círio de Nazaré no segundo final de semana de outubro. Há uma devoção muito grande das pessoas que vem à Igreja dos capuchinhos. Aqui elas buscam sustentar essa devoção do Estado do Pará. Então para nós é uma alegria muito grande, é um momento de revigoramento da fé, da esperança e que Nossa Senhora de Nazaré possa trazer isso tudo pra nós, ressaltou.

Pétalas e salva de palmas mostraram a fé dos fiéis que, em oração, puderam pedir a intercessão de Nossa Senhora de Nazaré durante a Santa Missa presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. Concelebraram o vigário episcopal norte, padre Claudio dos Santos, o vigário episcopal urbano, padre José Laudares e também o Bispo Animador do Vicariato Norte, Dom Luiz Henrique.

Durante a Homilia, Dom Orani ressaltou a importância de saber vivenciar e testemunhar Jesus Cristo nos dias de hoje. Segundo ele, diante de uma sociedade, na maioria das vezes incrédula, é através do testemunho dos fiéis que é possível levar a Palavra do Evangelho.

— Queremos pedir ao Senhor que saibamos da importância de Jesus Cristo, que saibamos vivenciar Jesus no mundo de hoje. Sabemos que somos chamados a apresentar esse Jesus quando muita gente quer ver apenas o homem e não o filho de Deus, aquele que nos salvou. A apresentação de Jesus deve ser feita à sociedade, ao mundo (...).Nós enquanto Igreja, temos que ter ânimo, testemunho, temos que ter a coragem de dizer que somos testemunhas do Deus que veio morar no meio de nós e continua presente conosco. Assim como Maria somos chamados a apresentar Jesus, o filho de Deus no mundo, afirmou o Arcebispo.

O Vigário Episcopal do Vicariato Norte, padre Cláudio dos Santos, expressou a honra e a gratidão em poder receber a imagem da Virgem de Nazaré pelo vicariato norte no primeiro dia de peregrinação da Imagem no Rio de Janeiro.

— É com alegria em nosso coração que queremos ter ainda mais esse exemplo da mãe de Deus presente em nosso dia a dia. Por isso o Vicariato Norte acolhe aqui nesta Igreja aquela que nos mostra sempre a pessoa do próprio Deus, afirmou o vigário.

Com a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré nas mãos, Marco Antonio Cardoso rezava junto de sua mãe nas primeiras fileiras da Igreja de São Sebastião. Ambos são naturais de Belém, mas vieram morar no Rio de Janeiro há mais de dez anos. Apesar da distância do Pará, a devoção à Nossa Senhora de Nazaré não diminuiu e para os dois, essa época do ano é o momento de participar dos festejos do Círio de Nazaré no Rio de Janeiro.

— Nasci no Pará e sempre vivenciei essa tradição do Círio de Nazaré. Aqui no Rio de Janeiro procuro sempre participar também, é uma festa maravilhosa e devo à Nossa Senhora inúmeras graças, disse Marco Antonio.

Virgem de Nazaré visita educandário no Catumbi
Após peregrinar pela Tijuca, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré seguiu até o Educandário Nossa Senhora de Nazaré, no Catumbi onde foi celebrada a oração do Ângelus. Essa foi a primeira vez que o Educandário, pertencente à Congregação Pequenas Irmãs da Divina Providencia recebe a imagem da Virgem de Nazaré.

Na porta do Educandário, as crianças acenavam com lenços brancos e azuis. A imagem foi recebida pelo pároco da paróquia Nossa Senhora da Salete, padre Marcos Antonio que a conduziu até a capela Nossa Senhora de Nazaré, no interior do Educandário. Segundo Dom Orani, o Círio de Nazaré recorda a missão de Maria dentro da Sagrada Família: 


— O Círio de Nazaré, recorda o papel e a missão de Maria na Sagrada Família. Foi justamente em Nazaré que Jesus foi educado. Falar de Nossa Senhora de Nazaré é falar da beleza da família de Nazaré. E aqui no educandário, as crianças podem crescer em sabedoria, no conhecimento com o desejo de aprofundar cada vez mais a sua educação. Trazendo a imagem aqui nós agradecemos a Deus pelo trabalho que aqui é feito.

Após a oração do Ângelus, as alunas do Educandário prepararam uma homenagem à Dom Orani com uma apresentação de canto. Logo em seguida foi realizada a oração do terço.

Para a coordenadora da casa provincial, Irmã Claudia, receber a Imagem da Virgem de Nazaré no Educandário representa a renovação da fé daqueles que trabalham ou estudam no local.

— A importância é pela pessoa da Virgem mesmo. Ela é a mãe da esperança, da caridade, ela é a mãe da fé. Ela é a nossa mãe. Então a importância está na figura dela mesmo. Devemos nos inspirar na nossa Mãe, afirmou.

Após a visita ao Educandário Nossa Senhora de Nazaré, o Círio chegou à sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro, na Glória para um momento de oração junto aos funcionários do prédio. Na parte da tarde, a Imagem continuará a peregrinar pelas ruas do Centro, São Cristóvão e Estácio.


* Fotos: Guilherme Silva

Translate