quinta-feira, 26 de abril de 2012

Te Deum pelos 120 anos da Arquidiocese do Rio de Janeiro

A Arquidiocese do Rio, que foi eregida pelo Papa Leão XIII, em 27 de abril de 1892, prepara uma grande festa pelos seus 120 anos. As comemorações serão na Paróquia Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, no centro da cidade, dia 27 de abril.
Na programação, a partir das 12h, haverá uma apresentação sobre a história da arquidiocese, um Te Deum e um concerto com peças musicais do padre José Maurício, interpretadas pelo Coral da Casa Julieta de Serpa.
arquidiocese rio de janeiro te deum igreja santa sé fundação
De prelazia à arquidiocese
Quando foi fundada a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1565, seu território ficou sujeito à jurisdição espiritual do bispo da Bahia, até que, pelo breve “In superemminenti militantis Ecclesiae”, do Papa Gregório XIII, de 19 de julho de 1575, foi criada a prelazia. Desmembrada do Bispado da Bahia, o território da nova prelazia estendia-se desde a Capitania de Porto Seguro até o Rio da Prata.
Em 16 de novembro de 1676, a bula do Papa Inocêncio XI “Romani Pontificis pastoralis sollicitudo” elevou a antiga Prelazia de São Sebastião à categoria de diocese, sufragânea da Sé Metropolitana de São Salvador da Bahia, criada na mesma data. A esta ficou também subordinada a Diocese de Olinda.
Da Diocese do Rio de Janeiro foram posteriormente desmembradas 131 arquidioceses, dioceses, e prelazias.
Posteriormente, pela bula “Ad universas orbis ecclesias”, do Papa Leão XIII, de 27 de abril de 1892, foi reorganizada a hierarquia eclesiástica no Brasil, que até então constava de apenas um arcebispado, o de São Salvador da Bahia e de 11 bispados sufragâneos.
Na ocasião foram criadas duas províncias eclesiásticas: uma com sede em São Salvador da Bahia, e a outra, o Bispado do Rio de Janeiro, elevado à categoria de Sé Metropolitana.
Desde então, foram os seguintes os arcebispos do Rio de Janeiro: Dom João Esberard, de 12/9/1893 a 22/1/1897; Dom Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, de 31/8/1897 a 18/4/1930; Dom Sebastião Leme da Silveira Cintra, de 18/4/1930 a 17/10/1942; Dom Jaime de Barros Câmara, de 15/9/1943 a 18/2/1971; Dom Eugenio de Araujo Sales, de 27/3/1971 a 25/7/2001; Dom Eusébio Oscar Scheid, SCJ, de 22/9/2001 a 27/2/2009; e Dom Orani João Tempesta, O.Cist, desde 19/4/2009.
A Arquidiocese do Rio tem como padroeiro principal São Sebastião e como padroeira secundária Sant’Ana, cujas estátuas, esculpidas em granito pelo escultor Humberto Cozzo, estão na Catedral Metropolitana.
LEGENDA: Fachada da Igreja Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé.
Fonte: jornal Testemunho de Fé - da redação (fonte: Anuário eclesiástico)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate