sábado, 18 de fevereiro de 2012

Igreja de Santo Antônio dos Pobres é matéria em jornais

Jornal Extra
A Igreja de Santo Antônio dos Pobres esteve presente na Capa do Jornal Extra do dia 05/02/2012 sendo mencionado numa matéria sobre as rachaduras em construções da Rua dos Inválidos.

No Jornal da Arquidiocese do Rio O Testemunho de Fé, publicou matéria na edição 729 do dia 29/01/2012, escrita pela Pascom Menino Deus. O relato inteiro da matéria foi extraído de informações dadas pela própria igreja. Uma má interpretação dos fatos informados pela Igreja à Pascom Menino Deus, foi entendida que foram localizados corpos sepultados no local, quando na verdade seriam apenas indícios e não fatos.

Jornal O Testemunho de Fé
No Jornal Folha do Centro de edição 185 de fevereiro de 2012, confundiu as informações sobre a origem da Igreja, mencionando na matéria que a Igreja seria oriunda das carmelitas que lá se estabeleceram em 1750 e que seria mantida pela Sociedade São Vicente de Paulo. Tal informação foi pesquisada incorretamente sendo confundida com a história da Capela do Menino Deus na Rua do Riachuelo.

Jornal Folha do Centro
A história da Igreja de Santo Antônio já foi contada anteriormente em nosso blog e relata que No dia 15 de Agosto de 1807, na cidade do Rio de Janeiro, expressivo número de devotos de Santo Antônio, liderados por Antônio José de Souza Oliveira, tiveram a idéia de erguer um templo sob a invocação do grande Santo nascido em Lisboa e falecido em Pádua. Para tanto, Antônio Oliveira adquiriu um terreno na esquina da Rua dos Inválidos com a Rua do Senado no Centro do Rio por compra a D. Helena Maria da Cruz e o doou à então fundada Irmandade de Santo Antônio dos Pobres.

Antiga Igreja de Santo Antônio
Trabalhando com dedicação e fervor, e facilitando à sua custa todos os recursos necessários, a igreja, três anos após o seu começo, achava-se concluída em 1811, sendo então entregue ao povo com grande solenidade, tendo comparecido ao ato da inauguração a família real e todos os altos escalões da Corte Real da época.

Naquela época, a Igreja era um primitivo Templo de estilo barroco e que ficou conhecido como Igreja de Santo Antônio dos Pobres em razão da Igreja do Convento do Largo da Carioca, dos Franciscanos, ser naquela época freqüentada pela classe mais alta da Cidade. O povo humilde e pobre assistia às Missas e demais cerimônias religiosas do calendário litúrgico no modesto e harmonioso templo da Rua dos Inválidos. Tinha sua torre alta e pontiaguda, onde estavam pendentes os sinos, apresentava as linhas do estilo barroco. Cinco janelas de frente, sendo que uma na coluna da torre, três portas e dois óculos gradeados. Acima o frontão triangular com cimalha de cantaria. Do lado da Rua do Senado uma série de janelas revestidas de grades de ferro dando para o corredor da igreja e para as tribunas. Por dentro o seu aspecto era tão pobre que parecia uma predestinação do próprio título do seu padroeiro, pois a Venerável Irmandade de Santo Antônio dos Pobres nunca conseguira formar patrimônio semelhante ao das demais agremiações congêneres.

Presbitério da antiga Igreja
Mesmo concorrido pelo povo simples, foi ele visitado várias vezes pelo Príncipe Regente, mais tarde Dom João VI junto com Dona Carlota Joaquina, grandes devotos de Santo Antônio, que sempre se fez acompanhar de seus filhos e de personalidades da Corte. Dom João VI e Dona Carlota Joaquina que atribuiu à especial intercessão de Santo Antônio junto a Deus, a vitória de seus exércitos sobre os de Napoleão, expulsando-os do solo português. 

Em 1828 os Capuchinhos passaram a residir na Igreja, mas constantes divergências sobre o cotidiano na Igreja fez com que eles saíssem tempos depois.

Em 10 de dezembro de 1854, a humilde Igreja de Santo Antônio dos Pobres foi proclamada Paróquia após receber o título de Matriz.

Em 1940, obras urgentes se impuseram na Igreja. As constantes enchentes no local afetavam os alicerces e as paredes, os cupins se aproveitavam da umidade para proliferar e assim, a Venerável Irmandade de Santo Antônio dos Pobres, com o apoio da comunidade católica da região e liderança do então Provedor Comendador Antonio Parente Ribeiro, lançou-se ao trabalho da reconstrução do Templo. Grande parte do antigo templo foi destruído e em 23 de abril de 1940 foi lançada a pedra fundamental da nova Igreja. 

Em 13 de junho de 1942, o Pároco da época Monsenhor Magaldi com a Autorização do Cardeal Dom Sebastião Leme que não pôde comparecer devido a uma enfermidade, inaugurou a Capela-mor com metade da nave da Igreja já pronta.

Sem interrupção do culto, em 1946 ficou pronta por completa a nova Igreja já em estilo neoromântico, com belíssimos vitrais evocativos de passagens da vida de Santo Antônio. Era uma nova construção muito maior e já em quase nada lembrava aquela antiga de 1811. 

Uma curiosidade da cidade do Rio de Janeiro é que em tempos antigos haviam dezenas de oratórios espalhados por toda cidade que serviam de ponto de parada para que os transeuntes rezassem. Um desses oratórios era o de Nossa Senhora dos Prazeres que ficara no Arco do Telles, mas que devido a acontecimentos com prostitutas, foi destruído e a imagem da santa foi transferida para a Igreja de Santo Antônio dos Pobres

Em 2004 ocorreu uma grande restauração na parte interna. Os afrescos, lustres e bancos foram totalmente reformados e algumas lâmpadas foram substituídas para deixar o ambiente mais claro.

Em dezembro de 2009, a Igreja passou por um grande transtorno. Devido à construção de um grande conjunto de condomínios num terreno bem ao lado da Igreja, o solo da região já abalado pelas constantes chuvas não aguentou e cedeu em alguns pontos da rua e a Igreja foi rapidamente afetada. Enormes rachaduras apareceram no chão e nas paredes o que fez com que fosse necessário interditá-la para obras emergenciais. Durante as reformas foram localizadas relíquias da Igreja primitiva como o piso. A previsão para a reabertura na Igreja é para 2012 e enquanto isso não for possível, um salão foi improvisado para que as cerimônias religiosas acontecessem do outro lado da rua no número 37.

Santo Antônio
A Igreja é famosa por suas festas no dia 13 de junho onde há uma Alvorada as 6 horas da manhã comandada por membros do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. No dia de Santo Antônio, a Igreja fica aberta o dia inteiro com Missas e há distribuição constante de pães. De noite, o último dia da Trezena é festejado para que logo após seja celebrada a última Missa do Dia. A Procissão pelas ruas do Bairro sempre ocorre no Domingo seguinte ao dia 13 de junho pela tarde e após a chegada à Igreja é celebrada Missa Solene.

A Paróquia de Santo Antônio dos Pobres é responsável por três Capelas da região: Capela do Menino Deus na Rua Riachuelo datada de 1743 e reconstruída em 1925, a Capela do Hospital da Ordem Terceira do Carmo também na Rua Riachuelo datada de 1919 e a Capela São João de Deus do Corpo de Bombeiros do Município do Rio de Janeiro situada na Praça da República datada de 1941. A Paróquia de Santo Antônio dos Pobres pertence à Segunda Forania do Vicariato Episcopal Urbano da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.

A história da Igreja de Santo Antônio é contada em nosso blog no menu PARÓQUIA logo abaixo do título do blog no link  http://capeladomeninodeus.blogspot.com/p/paroquia.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate