domingo, 30 de outubro de 2011

Procissão encerra festa dos santos Crispim e Crispiniano

No último domingo, 30 de outubro, as 18h, a Venerável Irmandade dos Mártires São Crispim e São Crispiniano juntamente com toda a comunidade saiu em procissão pelas ruas do Centro do Rio marcando o último dia das festividades aos santos padroeiros. Pouco antes, foi encenada pelo Grupo Jovem da Igreja, a vida dos irmãos de origem romana que passavam seus dias anunciando o evangelho de Cristo entre seu povo e a noite no ofício de sapateiro. Crispim e Crispiniano foram perseguidos, presos, torturados e mortos em virtude da fé cristã que carregavam.

Como ocorre tradicionalmente todos os anos, a Banda Portugal esteve presente para abrilhantar a procissão que saiu da igreja na Rua Carlos Sampaio, percorreu o Bairro de Fátima e as Ruas do Riachuelo, Inválidos, Resende, Ubaldino, Mém de Sá e Tadeu Kosciusko. A procissão parou por dois momentos: na Capela Nossa Senhora de Fátima onde foram proclamados cânticos marianos e no Hospital do Câncer na Praça Cruz Vermelha onde os fiéis ficaram parados com as mãos estendidas em direção ao hospital e cantando músicas de cura.

Nem a chuva que ameaçou cair e o forte vento desanimaram a caminhada dos fiéis. Muitos deles frequentam outras comunidades próximas como Nossa Senhora de Fátima, Menino Deus, Santo Antônio e Santa Teresa. Três veículos levavam as imagens em procissão. O primeiro de São Frei Galvão, o segundo de Nossa Senhora de Fátima, e o último dos santos padroeiros.
No retorno à Igreja, foi celebrada pelo capelão da Irmandade, Padre Luís Roberto, a Missa de Encerramento dos Festejos. Em sua homilia, Padre Luís lembrou a trajetória na vida dos santos, agradeceu a visita do Bispo Auxiliar Dom Nelson Francelino no último dia 25, e agradeceu a toda comunidade e em especial todos aqueles que colaboraram ativamente dos festejos dos santos Crispim e Crispiniano.


Colaboração: Ariel Carvalho e Crislane Peres

sábado, 29 de outubro de 2011

Missas de Finados na Capela do Menino Deus

Esse ano haverão duas Missas no dia de Finados na próxima quarta-feira, 02 de novembro, na Capela do Menino Deus que serão celebradas por padre Eduardo Braga às 9h e às 10h da manhã.

As Missas serão Comunitária às Almas. As intenções estão sendo marcadas na Sacristia da Capela.

O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca.
É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.
Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava. Desde o século XI, os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano aos mortos. Desde o século XIII, esse dia anual por todos os mortos é comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro é a festa de "Todos os Santos". O Dia de Todos os Santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Todos os Mortos celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Paróquia Santo Antônio distribui 200 bolsas de alimentos

No último dia 25 de outubro, terça-feira, às 7:30h, foi celebrada a Missa com as Famílias que recebem as cestas de alimentos na Igreja de Santo Antonio dos Pobres na Rua dos Inválidos, no Centro. Quem presidiu a Santa Missa foi o Pároco Emérito Padre Abdias Lopes. Para alegria da Comunidade, esteve presente o Diácono Permanente Hélio Júnior, que foi ordenado no dia 15 de outubro.

O Diácono Helio destacou em sua Homilia o grande Amor de Deus por cada pessoa e sua presença junto a cada um diante das dificuldades e sofrimentos da vida, não esqueçam o que o Cristo disse: "Eis, que estou convosco todos os dias até o fim do mundo", afirmou o Diácono. Ele também abençoou os pães de Santo Antonio e entregou a cada família que estava presente.

Padre Adbias se alegrou muito, pois conheceu o Diácono Hélio, quando ainda era Capelão do Irmandade de São Benedito há mais de 20 anos. Padre Abdias agradeu a presença dele em seu nome e em nome do Pároco Padre Eduardo Braga que estava no Seminario na Semana de Filosofia, da qual ele é diretor.




O Diácono Hélio Junior, está provisionado para exercer seu ministério na Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São José no Engenho de Dentro.



*Colaboração: Wallace Netto  

Dom Nelson celebra São Crispim e São Crispiniano no Centro do Rio



Na noite da última terça-feira, dia 25 de Outubro, o Bispo Auxiliar de da Arquidiocese do Rio Dom Nelson Francelino presidiu a Celebração Eucarística em memória dos mártires São Crispim e São Crispiniano, na capela localizada próximo à Praça da Cruz Vermelha. Concelebraram o Capelão da Irmandade, Padre Luiz Roberto Gomes Martins e o Vigário Paroquial do Santuário de Fátima, Padre João de Bona.

Na homilia, Dom Nelson ressaltou que a vida Cristã não é uma vida de ilusão:

— A cruz, a dor, o sofrimento, fazem parte da nossa vida. Vivemos cada momento sabendo que Deus nos acompanha, mesmo quando os sofrimentos aparecem. A vida Cristã não é fácil. Vivemos numa cidade com diversas complexidades: medo da violência, injustiça, momentos de tristeza e abandono, tudo nos impulsionando a abandonar a nossa religião e a desviar dos caminhos de Deus. Assim também foi a vida de São Crispim e São Crispiniano, mas eles, se desviando das dificuldades e perseguições, preferiram a morte a renegar a fé, explicou.


O Bispo também lembrou que o cristianismo está centrado na cruz de Cristo.

— Somos convidados a carregar nossa cruz, pois toda cruz é passageira. Como a noite que termina com o nascer do sol, assim nossas dificuldades também cessarão. E para ultrapassar todos os nossos obstáculos, temos a intercessão dos nossos padroeiros, destacou.

No final da Missa, o grupo folclórico português “Sertões das Aldeias”, da Paróquia Santo Antonio dos Pobres, fez uma belíssima apresentação para Dom Nelson e toda a comunidade.



Os Santos
São Crispim e São Crispiniano nasceram em Roma e foram martirizados no dia 25 de Outubro do ano 287 da era cristã, na cidade de Soiassons, na França. Embora de descendência nobre, ganhavam o pão como humildes operários: durante o dia eram missionários chefiados para evangelizar na França e à noite, trabalhavam como sapateiros e correeiros (quem faz correias). Foram martirizados após tentativa de fazê-los abandonar sua crença.

* Colaboração e fotos: Marcos Arzamendia

Igreja do SSMO Sacramento ganha novo Pároco no Centro


Na manhã do último domingo, 23 de Outubro, o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, presidiu a celebração de posse do novo Pároco da Igreja do Santíssimo Sacramento, no Centro, Padre Sergio Cavalcanti Muniz Nunes.

O Vigário Episcopal Urbano, Padre José Laudares, já no início da Celebração Eucarística,leu a provisão de posse. Dom Orani fez a entrega da chave da Igreja, a apresentação da Pia batismal, do confessionário, do sacrário e da sede da presidência.

Na homilia, o Arcebispo lembrou que no domingo a Igreja estava celebrando o dia das Missões e, assim, para o Padre Sergio, era o início de uma missão especial: a de cuidar das ovelhas da Paróquia do Santíssimo Sacramento da Antiga Sé. Ele também agradeceu a toda a Irmandade pelo total apoio ao Monsenhor Barreto e pediu a renovação de apoio para o novo pároco.


No final da Missa, o provedor da Irmandade, Joaquim Alves de Brito, agradeceu a dedicação de Dom Orani e o empenho do Monsenhor Barreto, que durante anos esteve à frente desta Paróquia.


* Colaboração e foto: Marcos Arzamendia

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Agradecimento - Coleta das Missões

A comunidade da Capela do Menino Deus ofertou durante o último final de semana um total de R$ 636,00 na Coleta das Missões de 2011. O dinheiro será entregue integralmente na Cúria Arquidiocesana do Rio de Janeiro onde será destinada às Missões da Igreja no mundo inteiro!

Obrigado à todos pelo gesto concreto de ajuda!

domingo, 23 de outubro de 2011

Reformas nas Igrejas do Centro do Rio

Nossa Senhora do Carmo da Lapa
Nas últimas semanas iniciaram obras de restauração das Igrejas de Santa Luzia e Nossa Senhora do Carmo da Lapa no Centro do Rio. Já algum tempo, os templos católicos apresentaram problemas estruturais e precisavam de reparos. As reformas porém, deverão demorar bastante visto a complexidade e o cuidado com que deverão serem feitas, pois tratam-se de bens tombados e de preservação rico de história e cultura para os cariocas.
Igreja de Santa Luzia
Convento de Santo Antônio
Outras igrejas já vem passando por reforma a mais de um ano como é o caso do Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca, do Santíssimo Sacramento da Antiga Sé na Av. Passsos e Santo Antônio dos Pobres na Rua dos Inválidos. Todas elas são obras grandes e demoradas para que o resultado final seja o mais belo possível. A Igreja se Santa Rita vem passando a alguns meses por algumas pequenas reformas, mas em menor escala que as anteriores. A de Nossa Senhora do Monte do Carmo tive a informação que em breve entrará em reforma.

N.S. de Bonsucesso
Outras Igrejas como Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé e Convento de Santa Teresa passaram por restauração a pouco tempo e encontram-se deslumbrantes com toda as suas pompas. Outas Igrejas que merecem elogios devido restaurações nos últimos anos que foram concluídas antes das citadas anteriormente são: Catedral de São Sebastião na Av. Chile, Nossa Senhora do Terço na Av. Passos, Santana na Praça XI, Santa Cruz dos Militares e São José na Primeiro de Março, Candelária na Presidente Vargas, Capela do Hospital do Carmo na Rua do Riachuelo, Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores na Rua do Ouvidor, Nossa Senhora Mãe dos Homens na Rua da Alfândega, Mosteiro de São Bento na Rua Dom Gerardo, São Basílio na Rua República do Líbano, São Francisco da Penitência no Largo da Carioca, Nossa Senhora do Bonsucesso na Praça XV, Nossa Senhora do Parto na Rua Rodrigo Silva,  e Nossa Senhora de Fátima na Rua do Riachuelo.

N.S. Lampadosa
Além de todas essas já citadas, as Igrejas de São Gonçalo e São Jorge no Campo de Santana,  Santa Efigênia e Santo Elesbão na Alfândega, Nossa Senhora do Rosário e São Benedito na Uruguaiana, São Crispim e São Crispiniano na Rua Carlos Sampaio, Nossa Senhora da Boa Morte na Rua do Rosário, Nossa Senhora Lampadosa na Av. Passos, São Francisco de Paula no Largo São Francisco e Capela do Menino Deus na Rua do Riachuelo, creio eu, deverão passar por alguma restauração nos próximos anos.

Confira nossa reportagem feita em fevereiro deste ano sobre as obras nas igrejas do Centro do Rio: http://capeladomeninodeus.blogspot.com/2011/02/igrejas-em-reforma-no-centro-do-rio.html

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Festa dos Santos Crispim e Crispiniano no Centro

A Venerável Irmandade dos Santos Mártires Crispim e Crispiniano situada na Rua Carlos Sampaio 340, no Centro do Rio, convida todos para as festividades do padroeiro a serem realizadas com a seguinte programação:

Tríduo de São Crispim e São Crispiniano
Dias 22, 23 e 24 de outubro às 18h

Dia dos Padroeiros  - 25 de Outubro (terça-feira)
Missas Solenes: 9h (pelos falecidos), 10h (pelos comerciantes), 11h (pelos médicos e enfermeiros) , 15h (pelos doentes).
Missa Solene celebrada por Dom Nélson Francelino, Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro às 19h.

Procissão dos Padroeiros - 30 de outubro (domingo)
Missas: 8h (pela comunidade), 9h (pela catequese), 10h (pela Irmandade).
Apresentação Teatral da Vida dos Padroeiros: 17h.
Solene Procissão pelas ruas do centro com saída da Igreja às 18h seguida de Missa de Encerramento dos festejos.

Obs.: Durante os dias 24, 25 e 30 haverá festa externa com barraquinhas.

Capelão: Padre Luis Roberto Gomes Martins
Telefone para contato: 2232-4622

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Cultura: Praça Tiradentes


A atual Praça Tiradentes teve origem, nos idos do Séc. XVII, no desmembramento do então chamado Campo de São Domingos. Em 1690 chamava-se Rossio Grande, em clara alusão ao Largo do Rossio lisboeta; mais tarde, passou a Campo dos Ciganos, devido à chegada, de Portugal, de um grupo desses nômades, e que ali montaram, por algum tempo, suas barracas. A partir de 1747, com a construção da Capela de NªSª da Lampadosa, passou a ser conhecida como Campo da Lampadosa. Em 1808, passou a ser o Campo do Polé, graças à instalação, no local, de um pelourinho. Em 1821, passou a ser chamada Praça da Constituição; D. Pedro, assumindo o posto de Príncipe Regente, jurou fidelidade à Constituição Portuguesa de uma das varandas do Real Teatro São João que ficava onde, hoje, encontra-se o Teatro João Caetano. Finalmente, em 1890, ao aproximar-se o centenário da morte de Joaquim José da Silva Xavier, passou a ter o nome de Praça Tiradentes, pela proximidade do local onde se acredita ter sido enforcado o protomártir da Independência.
No centro da praça, o monumento a Pedro I, mandado erigir por Pedro II, foi inaugurado em 1862. Apresenta o Imperador a cavalo, fardado de general, segurando com a mão esquerda as rédeas, enquanto com a direita exibe a Constituição de 1824.(Há quem acredite tratar-se das cartas recebidas às margens do Ipiranga.) No pedestal, quatro estátuas de bronze representam os rios Amazonas, Paraná, São Francisco e Madeira. O monumento nasceu de um concurso internacional, em 1855, vencido pelo brasileiro Maximiliano Mafra, e foi construído em Paris por Louis Rochet ( 3º colocado no mesmo concurso) que tinha como aprendiz o jovem Auguste Rodin.
Em 1865 acrescentaram-lhe quatro alegorias representando as virtudes das nações modernas: a Justiça, a Liberdade, a União, e a Fidelidade, depois transferidas para a Praça NªSª da Paz, em Ipanema. O gradil foi instalado em 1865, e dos oito lampiões iniciais, restam 5. O monumento foi recentemente restaurado (2006) e as alegorias retornaram, devolvidas à Praça.
Nas proximidades há, ainda, alguns prédios de valor histórico, tais como: o Solar do Visconde do Rio Seco (Pça. Tiradentes, 67), a Igreja do Santíssimo Sacramento (Av. Passos, 50), a casa de Bidu Sayão (Pça Tiradentes,48) e as casas de números 5 e 11 da Rua Gonçalves Ledo.
Na foto grande, do início do século passado, vê-se trecho da praça. No postal, também do início do Séc. XX, podemos apreciar alguns detalhes; e a foto colorida, mais recente, mostra a ausência de vários lampiões.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Domingo de festa marca o dia da padroeira em Santa Teresa



Encerrando os festejos em honra de sua Padroeira, a comunidade da Paróquia de Santa Teresa de Jesus, no bairro de Santa Teresa, se reuniu para uma missa solene às 18h do último sábado, dia 15 de outubro. A celebração foi presidida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro Dom Pedro Cunha, concelebrada pelo Pároco, Padre Silmar Alves Fernandes, pelo Vigário Paroquial, Padre Mario Barbosa, pelo Chanceler da Cúria Metropolitana, Padre André Feitosa, e pelo Pároco do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, Padre Paulo Cesar Magalhães, assistida pelo Diácono Marcos André dos Santos e animada pelo grupo Missão Vozes da Igreja, de São Gonçalo.

Durante a celebração, Dom Pedro recordou os cinco anos em que atuou como Pároco local. Muito à vontade, recordou as atividades pastorais de sua época e, muito satisfeito por reencontrar as pessoas que permaneciam colaborando com a Igreja, cumprimentou os presentes, muitos nominalmente. Ele destacou a importância da contribuição e participação na Paróquia independente das mudanças que ocorrem na administração. Ele também lembrou todo o apoio recebido pelas irmãs do Carmelo, convento que deu nome ao bairro de Santa Teresa e ao redor do qual o bairro foi crescendo e se formando.

A missa também tinha como intenção todos os mestres, no dia a eles dedicado. Dom Pedro lembrou que Santa Teresa d´Ávila é a patrona dos professores, e destacou a importância de se meditar sobre aqueles que educam. Para o Bispo, educar é tomar pelas mãos e mostrar o caminho, algo que Teresa soube fazer brilhantemente, tendo sua maestria reconhecida ao ser declarada doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI, em 1970.

Em sua reflexão, o Bispo destacou a dificuldade de Santa Teresa d´Ávila em toda a sua história de vida. Com o objetivo de reformar os carmelos, Teresa se preocupava para não ser interpretada como uma revolucionária bélica nem cultural. Seu desejo era uma atualização espiritual sem perder os valores do cristianismo. Ela não quis dividir a Igreja, apenas dar uma roupagem nova, de modo a torná-la mais atraente.

— Teresa foi muitas vezes incompreendida pelas suas irmãs de convento por entrar em êxtase, uma união estática onde se desprendia completamente das coisas materiais. Era tamanha a comunhão espiritual com Deus e tamanho o nível de contemplação que ela chegava ao desmaio, ao desfalecimento, explicou Dom Pedro.

Relembrando as vítimas do acidente com um bonde, acontecido em agosto — também uma das intenções da celebração — o Bispo enfatizou a necessidade da oração. Citando São Paulo, ele explicou que mesmo que não saibamos rezar, o Espírito Santo vem em nosso auxílio e assim Deus nos dá os sinais de espiritualidade.

— A oração é a porta de entrada para uma constante comunhão com Deus. Porém, devemos mais ouvir do que falar, deixar o Espírito Santo controlar a oração, ensinou.

Durante a celebração receberam o sacramento da crisma uma adulta e uma jovem, Cristiani Ferreira e Tereza Rontalva, que representaram o compromisso que todos devem ter com a Igreja de Cristo. Dom Pedro destacou a importância de amar a Igreja, tal como se crê nela e se ama Cristo, seu fundador.
— Deixemos o Espírito nos guiar para o que devemos fazer no mundo, encerrou.

* Colaboração e fotos: Victor Gonzalez

Terço dos Homens na Capela do Menino Deus


O Terço dos Homens teve seu primeiro encontro na última terça-feira, dia 11 de outubro às 19:30. A partir dessa data, acontecerá o encontro semanalmente sempre na terça-feira às 19:30. O responsável pelos encontros é o Sr. Fernandes Assunção. Os encontros são realizados no salão da Capela cuja entrada fica à esquerda da porta principal.

Os homens todos são chamados a rezarem conosco o Terço. Participe!

A Igreja fica na Rua do Riachuelo, 75, no Centro.
Telefone: 2242-0460

sábado, 15 de outubro de 2011

Acerte o seu aí que eu acerto o meu aqui!

O horário de verão começa neste fim de semana nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e na Bahia.

A partir da zero hora do próximo domingo, dia 16 de outubro, os relógios devem ser adiantados em uma hora. 

O horário de verão termina em até 26 de fevereiro de 2012.



OBS: VÊ SE NÃO VAI PERDER A MISSA NO DOMINGO POR NÃO TER ACERTADO O RELÓGIO!

Tarde de limpeza no altar da Capela

Hoje pela tarde, Celeste e Ariel colocaram a mão na massa e deram ma geral no altar da Capela. A imagem do Menino Jesus foi limpa, foram trocas as toalhas e algumas lâmpadas que estavam queimadas. De longe nem dá tanto para observar, mas quando chega perto a diferença é bastante. Menino Deus, abençoai-nos!


Colaboração: Ariel e Celeste

Festa de Santa Teresa em Santa Teresa

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Festa da Virgem de Fátima reúne fiéis no Centro do Rio


Na última quinta-feira, 13 de outubro, o Santuário de Nossa Senhora de Fátima situado na Rua do Riachuelo, no Centro do Rio, ficou em festa para lembrar os 94 anos da última aparição de Nossa Senhora de Fátima em Portugal.

O Pároco Padre Paulo César abriu os festejos com Missa as 06 horas da manhã. Durante todo o dia a Igreja ficou aberta com com celebrações a todo momento. Na calçada da Igreja, as barraquinhas com comidas e artigos religiosos marcaram presença desde a manhã até a noite.

Às 20 horas, cerca de cinco mil pessoas saíram em procissão pelas ruas do Centro. Logo na porta da Igreja, Padre Paulo lembrou a tragédia ocorrida pela manhã na Praça Tiradentes e todos rezaram pelas vítimas. A primeira parada foi em frente ao hospital Espanhol onde os enfermos que ali estão foram lembrados através das orações. Em seguida, os fiéis subiram o Bairro de Fátima e passaram pela pequena Capela também dedicada à Virgem de Fátima de onde foi recebida com queima de fogos. Em seguida nem mesmo o problema no carro de som que teve dois pneus furados desaminou a caminhada e a procissão seguiu normalmente. Tradicionalmente, a Roseira de Fátima situada na Av, Mem de Sá ofereceu uma coroa de flores que logo foi colocada aos pés da imagem. Na Praça Cruz Vermelha,  a multidão rezou pelos que estão fazendo tratamento no Hospital do Câncer enquanto muitos ficaram pela janela dos quartos fazendo as suas preces. Mais adiante, as Irmãs Paula estavam aguardando a procissão na porta da Capela do Sagrado Coração de Jesus no Dispensário de São Vicente de Paulo com uma pequena imagem de Nossa Senhora. Em seguida, a procissão continuou sua caminhada de volta para o Santuário, onde passou pela Ladeira Frei Otaviano que estava com sua escadaria toda iluminada com velas.

Na chegada à Igreja, a imagem de Nossa Senhora de Fátima entrou com toda a comunidade cantando e acenando com as mãos. Muitas pessoas ficaram emocionadas. Em seguida, crianças coroaram a imagem da Virgem Maria. Por fim, Padre Paulo agradeceu a presença de todos nas festividades à Nossa Senhora de Fátima e os fiéis em seguida fizeram suas últimas orações aos pés da imagem de Nossa Senhora.


COLABORAÇÃO: Ariel Carvalho e Crislane Peres

Translate