quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Inaugurada a sede da JMJ 2013 no Rio de Janeiro



Foi inaugurada, nesta terça-feira, dia 27 de setembro, a sede do Comitê Organizador Local da JMJ Rio 2013, localizada no 7º andar do Edifício João Paulo II, na Glória. A benção das instalações foi feita pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, e contou com a presença de bispos, vigários episcopais, presbíteros, religiosos, cristãos leigos, jovens e jornalistas.

Durante o evento, foi lançado o regulamento do concurso da logomarca da jornada, que estará disponível no site www.rio2013.com . As inscrições poderão ser feitas até o dia 22 de outubro. No dia 3 de dezembro será feito o anúncio oficial da logomarca escolhida.

— Pessoas do mundo inteiro poderão enviar as suas inspirações e ideias, e uma comissão julgadora vai escolher as melhores sugestões, que serão enviadas para o Pontifício Conselho dos Leigos, que fará a escolha final. Posteriormente, também será lançado o concurso para a letra e a música do hino da jornada, afirmou Dom Orani.

Oração e missão

O Arcebispo do Rio também pediu que todos intensifiquem as orações na intenção da JMJ Rio 2013.

— Pedimos a Deus que aqueles que vão trabalhar aqui e que terão a responsabilidade de levar adiante essa missão sejam cada vez mais cheios da graça de Deus para que, vivenciando a experiência cristã, possam anunciar o Cristo Ressuscitado a todas as pessoas, de maneira especial, aos jovens que aqui estarão. Peço que todos os funcionários, especialmente os que vão trabalhar neste andar, rezem a oração do Espírito Santo, na chegada e na saída, e o Ângelus ao meio-dia, afirmou.

Lembrando São Vicente de Paulo, celebrado pela Igreja no dia 27 de setembro, e o jovem universitário Antonio Frederico Ozanam, que fundou as conferências vicentinas, Dom Orani ressaltou a importância do trabalho que deve ser realizado na jornada.

— Hoje é um dia simbólico para nós, porque São Vicente sempre trabalhou pelos pobres, pelas missões e também pela formação do clero. E esse é o rumo que a providência nos coloca para vivermos. Esperamos que a nossa juventude, inspirada nesses exemplos de santidade, possa vivenciar a missão e testemunhar Jesus Cristo, Nosso Senhor, disse.

O bispo auxiliar e animador do Setor Juventude, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, também destacou a importância da unidade no trabalho missionário.

— Precisamos dar passos para a unidade e comunhão entre as pessoas. Porque, além de um trabalho profissional feito com seriedade, a Igreja procura uma só coisa: unir as pessoas com Deus e entre si. Temos a expectativa que a Jornada Mundial da Juventude em 2013 será um impulso grande para a Igreja no Brasil e em todo mundo, incentivou.
* Fotos: Gustavo de Oliveira - Portal da Arquidiocese do Rio

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Igreja da Candelária completa 200 anos



A Igreja de Nossa Senhora da Candelária, no Centro do Rio, está em festa. No dia 23 de setembro uma Missa foi celebrada em ação de graças pelos 200 anos da sua inauguração. Presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, a celebração litúrgica foi concelebrada pelo Vigário Episcopal do Vicariato Urbano, Padre José Laudares, pelo pároco da Candelária, Monsenhor Elia Volpi, e por outros Sacerdotes, Diáconos, acólitos e seminaristas, que agradeceram a Deus pelo serviço, que, durante dois séculos, a Igreja Católica vem prestando ao povo carioca através do templo, localizado na Praça Pio X.
Além dos celebrantes, formadores do Seminário São José, autoridades públicas da cidade do Rio, membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento e fiéis participaram da Santa Missa. Para o Arcebispo, a Igreja da Candelária faz com que a cada dia o povo se recorde de Deus.

— É com alegria que nós celebramos e agradecemos a Deus pelos 200 anos da inauguração da fachada da Igreja da Candelária, pois somos testemunhas de tudo o que ela representa hoje para o Brasil, em especial, para o povo do Rio de Janeiro. Os que passam por aqui diariamente olham para a Igreja e se recordam de Deus, mesmo que não vivam o Evangelho. (...) Deus quer habitar em toda a cidade e nós somos chamados a anunciar que Cristo está vivo, que venceu a morte e o pecado, afirmou Dom Orani.

Ponto turístico que não pode faltar no roteiro de visitantes brasileiros e do exterior, a inauguração da fachada da Igreja, com a chegada da imagem de Nossa Senhora da Candelária, se desdobrou em duas cerimônias. A primeira, no dia 8 de setembro de 1811, quando ocorreu a benção do frontispício e dos altares, seguindo-se celebração de Missa no altar-mor. A segunda, no dia 18 de setembro do mesmo ano, quando houve a Transladação do Santíssimo Sacramento bem como das imagens para os respectivos altares, dando à inauguração da fachada um caráter mais profundo, marcando a entrega do templo aos fiéis para o culto.

Para o seminarista do Propedêutico Rainha dos Apóstolos, Vinícius Nascimento, a celebração marca um ponto da história que se faz presente e que, ao mesmo tempo, é atual.

— Para mim e para o povo carioca celebrar os 200 anos da fachada é celebrar um ponto da história que se torna atual. Perceber a presença da Igreja Católica há dois séculos atrás, aqui no Rio de Janeiro, e ver essa bela característica conservada por tanto tempo é um grande motivo, com certeza, para nos orgulharmos e bem celebrarmos essa magnitude toda, disse o seminarista.

Já para o membro da Pastoral da Comunicação (Pascom) que participou da celebração Waldinei Faustino de Melo, a Igreja da Candelária é um marco da fé não só do povo carioca, mas de todo o Brasil.

— Acho que não só para o Rio de Janeiro, mas para o Brasil, é uma honra ter uma Igreja desse porte histórico. Mais do que isso, a Igreja da Candelária representa a fé não só dos cariocas, mas de todos os brasileiros, afirmou Waldinei.

Mais do que um templo para a realização das celebrações litúrgicas, a Igreja da Candelária durante esses dois séculos vem realizando um trabalho social e cultural, sempre cultivando o belo e tendo uma preocupação para com o próximo. Atualmente as Missas acontecem de segunda a sexta, às 12h15min, e aos domingos, às 10h30min e às 12h.

Ao final da celebração, o Provedor da Irmandade, José Gomes da Silva, entregou a Dom Orani uma placa de agradecimento por todo o trabalho realizado na Arquidiocese e a Banda da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro executou o Hino Nacional, confirmando assim, que a Igreja da Candelária tem grande importância histórica, religiosa e cultural para o Brasil.

* Fotos: Gustavo de Oliveira e Raphael Freire

*FONTE: Arquidiocese do Rio

domingo, 25 de setembro de 2011

Palestra Bíblica e Coleta para Catedral FM marcam o encerramento no Mês da Bíblia

No último sábado, dia 24, Padre Eduardo Braga realizou o segundo encontro sobre Curiosidades Bíblicas e contou com a presença de cerca de 50 pessoas na Paróquia Santo Antônio dos Pobres na Rua dos Inválidos. Nesse domingo, dia 25, foi comemorado o Dia Bíblia e contou com o sorteio de seis Bíblias para os membros de nossa comunidade sendo três em cada Missa. Outro fato desse domingo foi a coleta especial para a Rádio Catedral onde foi arrecadado R$350,00 que serão destinados à ajudar a Rádio de nossa Arquidiocese.

Padre Eduardo ministra palestra Bíblica no dia 24/09
Procissão da Bíblia
Padre Eduardo apresenta a Bíblia para a comunidade

25 de setembro: Dia da Bíblia!



Pode ser que até agora você tenha olhado para a Bíblia como um livro qualquer, mas é preciso entender que ela foi escrita para você, especialmente para você. Ela é uma declaração de amor do Pai que quis se revelar a nós. Ele enviou Jesus, o Filho d’Ele, para nos comunicar plenamente o desejo de se relacionar e de estabelecer amizade com cada um de nós. Deus quer falar conosco como um amigo fala com o outro, de maneira íntima e particular.

Há, na sociedade atual, uma epidemia de solidão, de busca de respostas, de tentativas frustradas de entender a vida, o sofrimento, a dor e a morte. Procuramos respostas em tantas coisas, em tantas pessoas, em lugares errados, em livros de autoajuda, escritos “para todo o mundo”– como se os problemas de todas as pessoas fossem iguais. Em vez de nos ajudar, muitas vezes, só pioram a situação. Não compliquemos as coisas! Nada e ninguém substituem a Palavra de Deus!

Todas as vezes em que você procura uma resposta, na verdade, você está procurando a Deus. É isso mesmo! É só parar para pensar um pouco. Quando você pergunta sobre o sofrimento, na realidade, a pergunta é sobre onde estava Deus, que o “deixou” sofrer. Quando não sabe o que fazer, que caminhos seguir, no fundo, você está perguntando: “Senhor, o que eu faço?”. O problema é que você cresceu e Deus se tornou apenas uma lembrança do passado ou Alguém que você até acredita que existe, mas que não pode se intrometer na sua vida. É ou não é assim?

Bíblia é a fonte de onde podemos colher a Palavra de Deus para nós. É a Palavra do Pai, não para qualquer um, mas para nós, seus filhos. Pode ser que no começo não entendamos tudo, mas se nos colocarmos como uma criança, que dia após dia ouve e presta atenção ao que o Pai fala, criamos intimidade e vamos compreendê-Lo cada vez mais. Quanto mais conhecemos a Deus e Sua Palavra, tanto mais compreendemos as nossas vidas e como a vontade do Senhor se manifesta no dia a dia.

Sempre é tempo de recomeçar! Vá lá, pegue aquela sua Bíblia cheia de poeira, com a folha amarelada de tanto tempo aberta na mesma página. Olhe para as suas páginas e diga a si mesmo: “Ela foi escrita para mim!”. Posso afirmar que todas as suas respostas estão nela, não necessariamente nessas páginas escritas por homens limitados, mas no Deus que, por intermédio da limitação do tempo e das palavras humanas, quer revelar que você não é qualquer um, você é especial.

Ler a Bíblia é fazer uma experiência particular com Deus. É se alimentar de palavras que não passam, de verdades que nos fortalecem e nos fazem entender a nossa vida de maneira totalmente nova. É conhecer a história de tantos homens e mulheres, iguais a nós, que se tornaram especiais pelo fato de terem experimentado o Senhor. É encontrar mais do que respostas; é encontrar a Verdade: Jesus Cristo, a Palavra encarnada no meio de nós. A Bíblia não é um livro mágico. Certamente você vai lê-la muitas vezes, por muitos anos, e seus problemas não desaparecerão. A Bíblia não é um livro de autoajuda, mas de ajuda do Alto! É lâmpada para os passos, luz para iluminar os caminhos de quem não desistiu de viver (cf. Sl 118,105). É uma espada, arma em tempos de guerra (cf. Ef 6,17), para os corajosos dispostos a lutar até o fim, certos de que são amados por Deus de maneira única e particular.

Espero que você tenha entendido. A Bíblia não é para qualquer um, mas é para você, para as suas lutas, para o seu dia a dia. A Palavra de Deus foi escrita para você que cansou de tentar encontrar respostas por si só, e que agora decidiu se deixar guiar pelo Senhor. Foi escrita para você que não quer uma vida igual a tudo o que se vê por aí, mas que quer a novidade que Deus Pai tem reservada para cada um de nós. Foi escrita para você que decidiu ouvir a voz do Senhor e seguir os Seus caminhos.

A Bíblia não é para qualquer um. A Bíblia foi escrita para você, só para você!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Reunião com os pais dos catequizando da Capela

Foi marcada a reunião entre os catequistas e os pais dos catequizandos da Capela do Menino Deus para o dia 02 de outubro (domingo) às 10h. Pedimos gentilmente que os responsáveis das crianças participem ativamente desse encontro que tratará de diversos assuntos!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Missa na TV Brasil não será retirada do ar!




A Arquidiocese do Rio de Janeiro, após entrar com uma ação junto à Justiça Federal de Brasília, conseguiu que o juiz da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, João Luiz de Souza, concedesse, na última terça-feira, 20 de setembro, liminar garantindo a transmissão dos programas “A Santa Missa” e “Palavras de Vida” pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC).
O conselho curador da EBC — estatal que opera a TV Brasil e oito rádios oficiais — havia aprovado, em março, resolução que determinava a suspensão, dentro do prazo de seis meses, de todos os programas religiosos constantes na programação da emissora. A medida judicial tomada pelo departamento jurídico da Arquidiocese conseguiu a suspensão desse ato do conselho curador da EBC e com tutela antecipada.

— O programa não vai sair do ar. Ele vai acontecer no próximo final de semana e até que o mérito dessa ação seja julgado, explicou a advogada Claudine Milone.

A ação impetrada mostrou que a “decisão do conselho tem forte e indesejável carga de discriminação religiosa” porque “exclui do âmbito de sua programação todos os programas religiosos, violando assim a disposição expressa do inciso VI da Lei 11.652/2008, que veda a discriminação religiosa”.
O conselho curador da EBC havia alegado ainda o caráter republicano laico da Empresa. No entanto, a um estado laico não cabe o repúdio às diversas religiões que são seguidas pelo povo brasileiro. A Arquidiocese defende que uma empresa pública de telecomunicações deve abrir suas portas a todas as religiões, especialmente as de grande representatividade na sociedade. “Trata-se de deturpação da vontade da Constituição, que optou por criar Estado laico justamente para que não houvesse espaço para a perseguição religiosa, e ainda a fim de evitar a concessão de privilégios a determinadas religiões”, afirma o documento apresentado à justiça.

— A TV Brasil, como uma TV pública, deve prestar serviço à sociedade. E os programas religiosos fazem exatamente isso: prestam uma assistência religiosa. Não só os católicos, mas também os de outras religiões. Então, a ideia não é suprimir os programas e sim trazer novas religiões, se for o caso. (...) O serviço religioso deve ser prestado à sociedade, lembrou a advogada.

Programas que alimentam a fé
Os programas em questão estão no ar há 36 anos. E prestam amparo religioso, moral e cívico aos cidadãos residentes em todo o território nacional. Especialmente para os idosos, os enfermos e os presidiários, a programação católica tem uma grande importância.

— Para os católicos impossibilitados de se locomoverem até as igrejas, a programação, especialmente a Santa Missa, tem uma grande importância, porque a participação nos sacramentos faz muita falta. Há uma série de estudos médicos que, inclusive, apontam que toda a parte imunológica da pessoa, os seus sistemas de defesa, tem melhor recuperação quando o paciente pratica a oração, contou o coordenador da Pastoral da Saúde, Diácono Sérgio Catão, que é pediatra.

— As pessoas que estão nos presídios se sentem carentes de tudo. Então, a missa é uma espécie de refúgio para elas. E, com certeza, aumenta em cada uma a confiança e a fé, disse Janaína, que atua junto à Pastoral Carcerária.

— Minha tia, que está com 85 anos, mora no sertão nordestino, numa área de difícil acesso. Por causa da idade ela não pode participar das missas, que só acontecem na cidade vizinha a que ela mora. Seu grande momento de encontro com Deus é quando participa da “Santa Missa” transmitida pela televisão. Sem isso, sei que ela se sentiria muito abandonada pela Igreja. Este programa alimenta a fé dela, partilhou Rosângela Guerra.

Fonte: Arquidiocese do Rio

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cruz da JMJ chega ao Brasil



Sob o sol forte do domingo, dia 18 de setembro, mais de 100 mil jovens sustentaram em seus ombros, mesmo sem chegar a tocá-la, a Cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), durante o Bote Fé, que aconteceu no Campo de Marte, em São Paulo.

Foi um dia que marcou os corações de todos os presentes e daqueles que puderam acompanhar, através dos meios de comunicação, a chegada dos símbolos da JMJ.

O ápice dessa grande festa, que começou às 9h, foi a Celebração Eucarística. Além da Cruz, os jovens acolheram o Ícone de Nossa Senhora na missa, presidida pelo Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, e concelebrada pelo núncio apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri, pelo presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno e pelo arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, juntamente com os demais bispos e sacerdotes presentes.

— Caríssimos jovens, o tema da próxima jornada é na verdade uma convocação, disse Dom Damasceno ao lembrar o tema escolhido pelo Papa Bento XVI para 2013 – “Ide e fazei discípulos todos os povos”.

— Sintam-se todos convocados e comprometidos. A Cruz é sinal do compromisso em seguir Jesus. Sem ela, não há ressurreição. E Maria é modelo perfeito da discípula missionária. A Igreja conta com vocês, afirmou.
O núncio apostólico, Dom Lorenzo, recordou que, na Cruz, é o próprio Cristo que passa e que Ele nos chama à fidelidade e à missão.

Na homilia, Dom Odilo disse aos jovens:
— Acolhamos, pois, em todas as partes do Brasil, esta Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora como se fossem a visita do próprio Jesus e de Sua Mãe.

E ao concluir, o Cardeal ressaltou:
— O Brasil está recebendo um carinho muito especial de Deus com este período de preparação para a JMJ-2013. Que seja um tempo de encontros marcantes com Cristo e de descoberta da herança apostólica, guardada, vivida e transmitida pela Igreja, de geração em geração, e que, hoje, vai passando às mãos de vocês, caríssimos jovens. Bem-vindo a nós, Jesus Cristo Missionário. Bem-vinda a nós, Nossa Senhora da Visitação. Os jovens do Brasil os acolhem de braços abertos", afirmou.

*Fotos: Fernanda Lorenzoni e Herbert Codonho

domingo, 18 de setembro de 2011

Acompanhe AO VIVO a chegada da cruz da JMJ 2013 em São Paulo

Acompanhe ao vivo a chegada da Cruz do Jovem e do Ícone de Nossa Senhora em São Paulo dando início à peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude que andará por todo o Brasil e chegará ao Rio de Janeiro em Maio de 2013 para a JMJ 2013 com o Papa.

CLIQUE NO LINK E ASSISTA AO VIVO: 

Domingo, 18/09/2011 - De 9h às 20h

Dom Edson celebra na Capela do Menino Deus

Nesse domingo, 18 de setembro, o Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro Dom Edson de Castro Homem celebrou Missa às 8h na Capela do Menino Deus.


*Fotos: Ariel Carvalho

sábado, 17 de setembro de 2011

Dom Edson presidirá cerimônia na Capela nesse domingo

Na manhã do próximo domingo às 8h, o Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro Dom Edson de Castro Homem presidirá a Santa Missa que será concelebrada por nosso Pároco Padre Eduardo na Capela do Menino Deus. Na ocasião será comemorado o 91º ano de vida de uma pessoa marcante de nossa comunidade desde a década de 50: Sr. Antônio, marido de Dona Manoela.

Casal de nossa comunidade embarca para Jerusalém

O casal mineiro de nossa comunidade a quase 20 anos, Conceição e Fernandes, partirá em peregrinação nesse domingo (18) para a Terra Santa em Jerusalém. Desejamos aos dois uma ótima viajem e que vão e voltem em paz com a proteção de Deus!

Padre Eduardo realiza 1º Encontro sobre a Bíblia

Na tarde do sábado, 17 de setembro, nosso Pároco Eduardo Braga realizou o primeiro de dois encontros sobre a Bíblia. O encontro contou com a presença de 45 pessoas e foi realizado no salão da Paróquia no número 37 em frente à Igreja de Santo Antônio na Rua dos Inválidos.


O encontro começou às 15h e abordou os seguintes assuntos: Introdução à leitura Bíblica, Nomes Bíblicos, Cânon Bíblico, Inspiração, Revelação, Divisão e Número de Livros da Bíblia.


No próximo sábado, 24/09 ocorrerá o segundo encontro no mesmo local e horário e abordará temas polêmicos da Bíblia tais como o celibato, veneração às imagens, salvação e Maria. Todos estão convidados!

4ª Caminhada em defesa da Liberdade Religiosa - Dom,18/09, 11h, Praia de Copacabana

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Intinerário da Cruz da JMJ 2013 no Brasil (09/2011 a 07/2013)

“Meus queridos jovens, na conclusão do Ano Santo, eu confio a vocês o sinal deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Carreguem-na pelo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição de Cristo podemos encontrar a salvação e a redenção”.


Foi com essas palavras que o Beato João Paulo II entregou aos jovens em Roma, no dia 22 de abril de 1984, aquela que ficaria conhecida como Cruz da Jornada, ou Cruz dos Jovens. Desde então, ela começou a peregrinar mundo afora, sempre levada pela juventude. Em 2003 junto com ela passou a peregrinar também o Ícone de Nossa Senhora.

Pela primeira vez, os dois símbolos máximos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vão peregrinar pelo Brasil. Serão meses num itinerário que percorrerá todo o país e também passará pelos vizinhos do Cone Sul. Ao longo desse trajeto, os jovens terão a oportunidade de reavivar a fé e de sentir o gostinho do que será a JMJ 2013, que acontecerá no Rio de Janeiro.


A Cruz da JMJ e o Ícone de Maria chegam ao Brasil no dia 18 de setembro e serão recebidos em São Paulo com uma grande festa, o Bote Fé. A partir daí iniciam a peregrinação, que será concluída no Rio de Janeiro. A ideia é que os dois símbolos passem por todos os 17 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Estão também previstas 19 grandes festas nas capitais brasileiras, todas com o nome "Bote Fé".


Depois do dia 18 de setembro, a Cruz e o Ícone vão peregrinar, até o dia 30 de outubro, pelas sete províncias eclesiásticas do Regional Sul 1 da CNBB, que corresponde ao estado de São Paulo – o mais populoso do país e o que tem o maior número de dioceses, 50. Daí os símbolos seguem para o Regional Leste 2, composto por Minas Gerais e Espírito Santo, onde ficarão ao longo de todo o mês de novembro. No mês seguinte, será a vez do Regional Nordeste 3, composto pelos estados da Bahia e de Sergipe.

A peregrinação seguirá ao longo de todo o ano de 2012. Em dezembro, a Cruz e o Ícone deixam o Brasil e visitam Paraguai, Uruguai, Chile e Argentina. Já em Janeiro de 2013 retornam para concluir o itinerário no Sul do Brasil. A etapa final acontecerá no Sul de Minas, no Vale do Paraíba (SP) e, finalmente, no estado do Rio de Janeiro, onde os símbolos chegam em abril de 2013.

Veja, no quadro a seguir, quando a Cruz e o Ícone visitarão cada regional. Os roteiros específicos da peregrinação dentro de cada regional serão divulgados à medida em que eles forem definidos.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Missa na TV Brasil será a última nesse domingo


A TV Brasil que era a extinta TVE (Tv Educativa) que durante 38 anos transmitia a Santa Missa em seu lar todos os domingos para todo o Brasil terá a sua última transmissão neste domingo. Um conselho deliberativo resolveu acabar por motivos que não justificam de maneira alguma tal atitude. Quantas pessoas Católicas ou que professam outra fé não tem acesso a outros canais e ficarão sem chances de escutar a palavra de Deus ao menos aos domingos e de assistirem  a santa missa.
A Santa Missa para os Católicos é uma tradição. Quantas pessoas doentes que não podem ir à igreja acompanham a missa pela TV. Tirar uma celebração religiosa da TV Brasileira como a Santa Missa, prejudica idosos, doentes, os que não podem se locomover e tantos que habitam em locais longíncuos e que não tem o privilégio de aos domingos celebrarem a palavra de Deus em uma comunidade.
A missa é um ato solene com que os Católicos celebram o sacrifício de Jesus na Cruz, recordando a última ceia. A nossa refeição sempre reúne em torno da mesa,  de pessoas que se querem bem - é um momento de partilha, de confraternização, de amizade.
O Arcebispo Dom Orani João Tempesta, o Padre Dionel Amaral, diretor do programa palavras de vida que também será suspenso pediu aos fiéis que enviassem cartas, e-mails e outros comunicados à Presidente Dilma Rousseff, e para aqueles que puderem compareçer na emissora que fica na rua gomes freire, no centro do rio de janeiro às 08h da manhã para participar da santa missa , em ação de graças aos 38 anos da santa missa em seu lar.
A justificativa da EBC para a suspensão é permitir a diversidade religiosa em suas emissoras. A Igreja Católica opõe-se à decisão com base no decreto 7.117/2010, que ratifica o acordo entre o Vaticano e o Brasil. Ele autoriza a Igreja a levar sua mensagem aos impossibilitados de sair de casa.
* FONTE: Rádio Catedral

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ó Cruz, tu nos salvarás!



14 de setembro - Exaltação da Santa Cruz

Celebrar a Exaltação da Santa Cruz é celebrar a Páscoa, a vida e a salvação que Jesus Cristo conquistou por este instrumento de suplício da época, que hoje, para nós, cristãos, é símbolo de vitória e salvação.

Vejamos:

Mt 10, 38 – Jesus disse: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”.

Mt 16, 24 – “Em seguida, Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”.

Lc 14, 27 –“E quem não carrega a sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo”.

Gl 2, 19 – “Na realidade, pela fé eu morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou pregado à cruz de Cristo”.

Gl 6, 12.14 – “Quanto a mim, não pretendo, jamais, gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo”.

1Cor 1,18: “A linguagem da Cruz… para aqueles que se salvam, para nós, é poder de Deus”.

1Cor 1, 17: “… anunciar o Evangelho, sem recorrer à sabedoria da linguagem, a fim de que não se torne inútil a Cruz de Cristo”.

Quando o imperador Constantino o Grande, enfrentou seu rival Maxêncio sobre a ponte Milvia, próximo do ano 300, viu nos céus uma cruz luminosa acompanhada dos dizeres: “In hoc signo vinces!” (Por este sinal vencerás). Constantino, então, colocou a sua pessoa e o seu exército sob a proteção do sinal da cruz e venceu Maxêncio, tornando-se imperador supremo de Roma, proibindo em seguida a perseguição aos cristãos pelo Edito de Milão, em 313.

O símbolo resultante da sobreposição das letras gregas X e P, iniciais de Cristo em grego, lembrava Cristo e a Cruz e foi representado no estandarte de Constantino. No fim do século IV, tomou a forma que lembrava a Cruz.

Após a conversão de Constantino († 337) a cruz deixou de ser usada para o suplício dos condenados e tornou-se o símbolo da vitória de Cristo e o sinal dos cristãos, como mostram de muitas maneiras a arte, a Liturgia, a piedade particular e a literatura cristã. A cruz tornou-se, então, sinal da Paixão vitoriosa do Senhor. Conscientes deste seu valor, os cristãos ornamentavam a cruz com palmas e pedras preciosas.

Os Padres da Igreja como Tertuliano de Cartago e Hipólito de Roma, já nos séculos II e III, afirmavam que os cristãos se benziam com o sinal da Cruz. Os mártires tomavam a cruz antes de enfrentar a morte e os santos não se separavam da cruz. As Atas dos Mártires mostram isso.
No entanto, muito antes de Constantino, Tertuliano (†202) já escrevera: “Quando nos pomos a caminhar, quando saímos e entramos, quando nos vestimos, quando nos lavamos, quando iniciamos as refeições, quando nos vamos deitar, quando nos sentamos, nessas ocasiões e em todas as nossas demais atividades persignamo-nos a testa o sinal da Cruz” (De corona militis 30). *

S. Hipólito de Roma († 235), descrevendo as práticas dos cristãos do século III, escreveu: “Marcai com respeito as vossas cabeças com o sinal da Cruz. Este sinal da Paixão opõe-se ao diabo e protege contra o diabo, se é feito com fé, não por ostentação, mas em virtude da convicção de que é um escudo protetor. É um sinal como outrora foi o Cordeiro verdadeiro; ao fazer o sinal da Cruz na fronte e sobre os olhos, rechaçamos aquele que nos espreita para nos condenar” (Tradição dos Apóstolos 42). *

No Novo Testamento a Cruz é símbolo da virtude da penitência, domínio das paixões desregradas e do sofrer por amor de Cristo e da Igreja pela salvação do mundo. Seria preciso apagar muitos versículos do Novo Testamento para dizer que a Cruz é um símbolo introduzido no século IV na vida dos cristãos. O sinal da Cruz é o sinal dos cristãos ou o sinal do Deus vivo, de que fala Ap 7, 2, fazendo eco a Ez 9,4: “Um anjo gritou em alta voz aos quatro Anjos que haviam sido encarregados de fazer mal à terra e ao mar: “Não danifiqueis a terra, o mar e as árvores, até que tenhamos marcado a fronte dos servos do nosso Deus”.

São Clemente de Alexandria, no século III, chamava a letra T (tau), símbolo da cruz, de “figura do sinal do Senhor” (Stromateis VI 11). *

Por tudo isso, a vivência e a iconografia dos cristãos, desde o século I, deram à cruz sagrada um lugar especial entre as expressões da fé cristã. Daí podemos ver que é totalmente errônea a teoria de que a Cruz é um símbolo pagão introduzido por influência do paganismo na Igreja e destinado a ser eliminado do uso dos cristãos. Rejeitar a Cruz de Cristo é o mesmo que rejeitar o símbolo da Redenção e da esperança dos cristãos.

* Fonte: Canção Nova

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Encontros Bíblicos com Padre Eduardo Braga na Paróquia


Palestras Bíblicas
Com Padre Eduardo Henrique Braga

Dias 17 e 24 de setembro de 2011 (Dois Sábados)
Horário: 15 horas
Local: Paróquia Santo Antônio dos Pobres
Endereço: Rua dos Inválidos, 42, Centro, Rio de Janeiro

Introdução à leitura Bíblica, Nomes Bíblicos, Cânon Bíblico, Inspiração, Revelação, Divisão e Número de Livros da Bíblia, Temas Polêmicos da Bíblia

Participe conosco!
Entrada Livre – Não é necessário Inscrição!

Translate