terça-feira, 8 de março de 2011

Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito

Remonta a mais de 350 anos a história da devoção, no Rio de Janeiro, tanto de Nossa Senhora do Rosário quanto de São Benedito. Em 1639, devotos da santa, que tinha a sua imagem na Igreja de São Sebastião, no Morro do Castelo, fundaram uma confraria, que existiu na mesma época, paralelamente a outra, devotos de São Benedito, ambas fundadas por homens pretos, livres e escravos. No ano de 1667 foi eleito pela confraria de São Benedito, donde a origem e fundação da Irmandade que reuniu as duas instituições.

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos HomensPretos, aprovada a 22 de março de 1669 por provisão do prelado Manuel de Souza e Almada, prosperou, ainda na área do Morro do Castelo, mas diversos problemas de ordem da administração religiosa, verificados nos anos seguintes, despertaram nos devotos o desejo de construir sua própria igreja. Em terreno doado pela devota Sra. D. Francisca Pontes, e por alvará de 14 de janeiro de 1700, foi concedida licença para a edificação. Em dois de fevereiro de 1708 realizou-se a benção do terreno e a colocação da primeira pedra, pelo Revmo. Padre João Pimenta de Carvalho, iniciando-se as obras dias depois.

O sucesso de tal empreendimento contou com a ajuda inestimável do governador Luiz Vahia Monteiro, o "Onça", que se dedicou incansavelmente e com especial simpatia em apoiar o projeto. Assim, em pouco tempo a capela-mor estava construída e em 1725 é dada por concluída. Em sinal de eterna gratidão, a irmandade manda colocar solenemente no Consistório da Igreja, um retrato do seu benfeitor. Em 1737 passa a sediar a Sé do Rio de Janeiro, provocando novos problemas e confrontos para a irmandade. Não foi a primeira mudança de sede da Sé, que no ano de 1734, devido à realização de obras na igreja do Morro do Castelo, passara a catedral para a igreja da Cruz dos Militares. Anteriormente, em 1659, o prelado tentara transferir a Sé para a igreja de São José, encontrando forte resistência daquela irmandade. A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito entretanto, acatou a ordem superior, e o cabido ali instalou a sua sede provisória.

É na condição de catedral do Rio de Janeiro que ela será a primeira igreja a ser visitada pela família real, na chegada de D. João VI e comitiva, nodia 8 de março de 1808. ligada a diversos episódios históricos - inclusive por ter o Senado da Câmara funcionando durante longo tempo no Consistório - como o Dia do Fico e a campanha abolicionista. Depois de sediar o Senado, o Consistório abrigou também a Imperial Academia de Medicina.

Nela também foram velados originalmente a Princesa Isabel e o Conde D’Eu, cujos restos mortais foram posteriormente transferidos para Petrópolis. Sua sacristia foi transformada em câmara ardente, por ocasião da morte do Irmão e líder abolicionista José do Patrocínio.

Em 26 de março de 1967 a bela igreja de mais de 240 anos foi quase completamente destruída por um incêndio. A Tri Secular Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos do Rio de Janeiro, com o apoio dos devotos, empreendeu sua reconstrução, ainda não concluída, mas cuja restauração está sendo negociada.

A Igreja fica na Rua Uruguaiana 77 no Centro do Rio.
Telefones: (21) 2224 2900 / 2224 2941 - Fax : 2224 2957   

e-mail : irmandade@irmandadedoshomenspretos.org.br


Texto retirado do Site da Irmandade de NS do Rosário e São Benedito
Fotos: Ariel Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate