terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Paróquia Nossa Senhora da Candelária

Igreja de N. Sra. da Candelária
Endereço: Praça Pio X, Avenida Presidente Vargas, S/N
Autor(es) do projeto: Engenheiro Sargento Mor Francisco João Roscio (1774); Engenheiro Gustavo Waehneldt (1865); Arquiteto Francisco Joaquim Bethencourt da Silva (1868); Arquiteto Evaristo Xavier Veiga (1874); Arquiteto Daniel Ferro Cardoso (1874); Engenheiro Antônio de Paula Freitas.
Datas: Projeto: (1774); Início das obras: (1775); Construção da cape1a mor: (1804); Inauguração do templo: (1811); Reinício das obras: (1851); Construção do tambor da cúpula: (1865); Reinício das obras da cúpu1a: (1874); Conc1usão da cúpu1a: (1877); Construção das naves laterais: (1878).
Decoração interna: A decoração interna foi iniciada ainda no século XVIII, tendo sido encarregado dela o Mestre Valentim da Fonseca e Silva. Estes trabalhos não mais existem e não se sabe como eram. Em 1813 foi erguida a capela do Santíssimo e em1820 a capela de N. Sra. das Dores. O trabalho foi interrompido em 1829 e só recomeçou em 1841. O Batistério foi esculpido por Mestre Manoel Ferreira Nunes. Os púlpitos são obras do Mestre Pinto do Couto. Os altares são obras de mestres italianos pouco conhecidos. Os primeiros estuques foram executados por Mestre Manoel Meira. Em 1870 foram instalados no tambor da cúpula oito estátuas de mármore branco executadas em Lisboa. Em 1896 o pintor João Zeferino da Costa executou os oito painéis da cúpula, historiando os faustos da igreja. Em 1902 foi colocada a porta de entrada, executada em Lisboa.
Estilos: A igreja é de estilo Barroco Pombalino, bastante calcada na Basílica da Estrela em Lisboa, construída no mesmo período. A cúpula é neoclássica e as fachadas laterais são ecléticas. A decoração interna é em sua maior parte em estilo neoclássico italiano. Os púlpitos são em estilo art-nouveau, assim como a porta.
Caracterização: A igreja foi descaracterizada em escala em 1943, quando foi aberta a Avenida Presidente Vargas, cujos prédios apequenaram-lhe a escala.
Proteção existente: É tombada pelo S.P.H.A.N.
Resenha histórica: A capela de N. Sra. da Candelária foi ereta em 1634 em ex-voto, por um pedido feito em alto mar, durante uma tempestade, por Antonio Martins da Palma e Leonor Gonçalves. Ainda em 1634 a capela foi convertida em sede de paróquia. Em 1710 a igreja já estava em estado lastimável e em 1768 estava arruinada. Em 1774 foi decidida a reconstrução. Em 1811 o príncipe regente D. João VI inaugurou o novo templo, apesar de ainda estar muito incompleto. A igreja ficou em obras por todo o século XIX, havendo diversos intervalos em que tudo andou parado. O Barão de Guaratiba passou a patrocinar a construção a partir de 1851, dando certa regularidade aos trabalhos. O número de engenheiros, arquitetos, mestre de obras e artistas que ali labutaram foi imenso, sendo que muitos são anônimos. Em 1902 com a colocação da porta de entrada a igreja foi dada como concluída. Em 1938 foi resolvida a construção da Avenida Presidente Vargas. Inicialmente pensou-se em demolir a igreja, pois esta ficava bem no eixo da futura avenida. Posteriormente ela foi preservada. Também tentaram removê-la e houve até quem propusesse girá-la sobre o próprio eixo para que ficasse de frente para a avenida. Felizmente tudo não saiu do papel e o templo foi preservado, malgrado a perda de escala por parte dos elevados prédios que a ladeiam.



Fotos: Ariel Carvalho
Texto: Blog RememorArte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate