sábado, 5 de fevereiro de 2011

Ordenação Episcopal no Rio de Janeiro (Fotos)

Na manhã deste sábado, 5 de fevereiro, o Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani João Tempesta, presidiu a Solenidade da Ordenação de três novos Bispos Auxiliares para a Arquidiocese do Rio de Janeiro na Catedral Metropolitana no Centro do Rio. Infelizmente eu, Ariel, não acompanhei a cerimônia desde o princípio devido à compromissos acadêmicos, mas cheguei na Catedral por volta das 10:15h. Consegui tirar algumas fotos para mostrar para os nossos leitores. Infelizmente não cheguei no momento em que os novos Bispos estavam sendo ordenados. Pedimos ao Deus Todo Poderoso que ilumine a caminhada de Dom Nelson, Dom Paulo e Dom Pedro para que eles possam conduzir suas missões com muito alegria e zelo.


Muita fé, alegria e entrega a Deus marcaram a ordenação episcopal dos novos Bispos Auxiliares da Arquidiocese do Rio, Dom Nelson Francelino, Dom Paulo Cezar Costa e Dom Pedro Cunha, neste sábado, 5 de fevereiro. A Celebração presidida pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta e concelebrada pelo Bispo Diocesano de Valença, Dom Frei Elias Manning e pelo Bispo Emérito de Nova Friburgo e Presidente do Regional Leste 1, Dom Rafael Llano Cifuentes, foi realizada na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Às 8h30m da manhã, a Igreja já estava lotada de fiéis. Também em grande número havia presbíteros, diáconos, seminaristas e 35 bispos de todo o país. Ao iniciar a Celebração, Dom Orani saudou os presentes e disse ser um momento de festa e de fé, em que era visível a ação do Senhor no meio de todos.

Rito de ordenação
No rito de ordenação, momento de grande emoção, as três Bulas de eleição foram lidas, separadamente, pelo Monsenhor Abílio Ferreira, que levou para toda a comunidade do Rio, a mensagem do Papa Bento XVI.

Em seguida, Dom Orani proferiu a homilia, destacando a importância da missão dos três novos Bispos. Ele disse que estão sendo ordenados para ajudarem a levar a Boa Nova de Jesus Cristo a todos aqueles que, membros do Corpo Místico de Cristo, esperam da solicitude dos bispos, com novos métodos e novas ações pastorais, o importante anúncio de Cristo Ressuscitado. Disse ainda que, eles foram enviados para serem missionários dentro de uma realidade complexa, bonita, desafiante que é a Igreja viva.

- A Palavra de Deus que ouvimos nos faz contemplar o mistério de nossa vida e vocação. É o Senhor que nos escolhe e envia, mesmo que não nos sintamos capacitados. Recorda-nos também, a missão de ensinar, ser perseverante e servir de exemplo de conduta para os fiéis, nunca descuidando do dom da graça que foi dada pela imposição das mãos. Por isso também hoje, o Senhor pergunta a cada um de nós, especialmente aos nossos irmãos Bispos que estão sendo ordenados: “Tu me amas?”. A insistência da pergunta de Jesus supõe também de todos uma resposta amorosa e generosa, disse.
Dom Orani também alertou aos novos bispos que, o episcopado é um serviço, e não uma honra; por isso o bispo deve distinguir-se pelo serviço pastoral prestado com entusiasmo e busca da santidade que provoque e suscite disponibilidade para que o povo de Deus faça o mesmo. E recordou o preceito do Senhor, “aquele que é o maior seja como o menor, e aquele que preside, como o que serve”.

- Amai com amor de pai e de irmão todos aqueles que Deus vos confiou, especialmente os presbíteros e diáconos, nossos colaboradores no serviço de Cristo; e também os pobres e doentes, os peregrinos e imigrantes, os presos e os que vivem à margem da sociedade, afirmou Dom Orani,

Depois da homilia, os Bispos eleitos foram interrogados pelo Bispo Ordenante, Dom Orani, quanto à fé e a futura missão. Em seguida, prostados, ouviram toda igreja cantar a Ladainha dos Santos e Santas.

Continuando o rito, foi realizada a imposição das mãos e prece de ordenação. Nesse momento, em silêncio, Dom Orani, seguido de todos os bispos presentes, impôs as mãos sobre cada um dos eleitos. Também o livro dos Evangelhos foi imposto, aberto, sobre a cabeça dos novos bispos e foi feita uma oração.

Por fim, Dom Orani ungiu a cabeça de cada um dos ordenados e os entregou o Livro dos Evangelhos, a mitra, e o báculo. O Arcebispo também colocou o anel no dedo anular da mão direita deles em sinal da fidelidade a Igreja, esposa de Deus.

Dom Orani conduziu os ordenados aos seus lugares, onde receberam o abraço da paz dos bispos presentes e do cabido da Catedral, representando o presbitério.

Agradecimento
Antes de terminar a Celebração Eucarística, os novos Bispos abençoaram o povo ao som do “Te Deum” cantado pelo Coral do Seminário São José. Dom Paulo Cezar Costa, fez o agradecimento em nome dos novos Bispos. Nele, destacou o amor de Deus que sempre precede qualquer virtude humana, e porque os ama, os elegeu e os santificou.

- A vocês, nossos amados padres, que estão unidos a nós na dignidade sacerdotal e nossos solícitos colaboradores e formam com nosso arcebispo um único presbitério, queremos junto com nosso arcebispo Dom Orani animá-los, acolhê-los com afeto paternal, conduzi-los para que cada vez mais possam se doar nas nossas paróquias e comunidades com alegria.

Também estenderam o agradecimento aos religiosos, ao povo de Deus, e em especial àquelas pessoas e instituições que foram importantes em suas vidas, destacando sempre em primeiro lugar, seus pais. Também ao seminário onde estudaram, as comunidades por onde passaram e ainda à PUC-Rio, universidade à qual os três estão ligados.

- Enfim, queremos agradecer a todos que vieram de longe e de perto para participar conosco deste momento da nossa ordenação. Acompanhem-nos com as vossas orações e amizade para que possamos ser presença do Bom Pastor auxiliando nosso amado arcebispo Dom Orani João Tempesta na vida e história desta grande arquidiocese.

E concluiu:

- Confiamo-nos ao Senhor, que sinalizado na bela Imagem do Redentor do Corcovado abençoa e protege nossa cidade, colocamo-nos sobre a proteção materna de Maria representada pelo Santuário da Penha e São Sebastião, Nosso Padroeiro.

Uma nova missão
Para todos os Bispos presentes foi uma honra participar desse momento marcante para a vida da Igreja no Rio.

- Um momento muito emocionante, eu conhecia os três como seminarista, quando eu me ordenei bispo eles se ordenavam padres e eu preguei o retiro presbiteral para eles. Já se passaram 20 anos e agora eles fazem parte do colégio episcopal. Serão três bispos excelentes, estão muito bem preparados. A Arquidiocese do Rio fica enriquecida. Eu pedi que eles fossem bispos santos, cultos e alegres, disse Dom Rafael Llano Cifuentes.

- Eu me alegro e por isso estou aqui, eu também recebi três bispos auxiliares de uma vez só. Estou contente por isso ter acontecido novamente. A Arquidiocese do Rio tem agora mais três bispos, que vão alimentar o povo de Deus, disse o Arcebispo Emérito do Rio, Cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid.
- Sempre uma ordenação é uma benção de Deus e para nós da CNBB, uma alegria muito grande. A realidade no Rio é desafiadora e ao mesmo tempo apaixonante. A complexidade da pastoral orgânica numa grande cidade trás seus desafios. A história e a riqueza do povo, da cultura e a fé do carioca apaixona qualquer um. Os três que já conhecem essa realidade, poderão ajudar mais ainda, disse o Bispo Auxiliar do Rio e  secretário-geral da CNBB, Dom Dimas Lara Barbosa.

Também Dom Elias, que recebeu um agradecimento especial de Dom Paulo Cezar, por ter sido o Bispo que o ordenou padre, estava emocionado com a ocasião.

- Eu me sinto muito feliz, pois estou na Diocese de Valença há 20 anos e um dos primeiros padres que eu ordenei foi Paulo Cezar. Ele é um filho nosso e primeiro padre de Valença, há 85 anos, a ser feito bispo. É festa para nós, afirmou Dom Frei Elias Manning.


Fotos: Ariel Carvalho, Carlos Moioli e Gustavo de Oliveira
Texto: Portal da Arquidiocese do Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate