quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Brasil ganha um novo Cardeal: Dom Raymundo Damasceno

O Papa Bento XVI anunciou, no final da audiência geral da quarta-feira, dia 20 de outubro, a nomeação de 24 novos cardeais, entre os quais o brasileiro Dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida, em São Paulo, e presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).


Os cardeais formam um colégio de auxiliares diretos do Papa que o assistem em função de sua missão universal diante da Igreja. Pode-se dizer que os cardeais são um colégio de consultores, de conselheiros. A função principal do colégio cardinalício é eleger o novo Papa quando for o momento. Com a nomeação de Dom Damasceno, o Brasil passa a ter nove cardeais, cinco deles com direito a voto num possível conclave. São eles, além de Dom Damasceno, o arcebispo de São Salvador, Cardeal Geraldo Majella Agnelo; o arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, o arcebispo emérito do Rio, Dom Eusébio Oscar Scheid; e o ex-prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Dom Cláudio Hummes.

Tradicionalmente existe um equilíbrio de número de cardeais na Igreja. O número dos eleitores do colégio cardinalício não deve estar abaixo de 120 cardeais e não vai muito além desse número. Com o novo consistório, os cardeais na Igreja somam 213, dos quais 121 são eleitores. O número de cardeais eleitores é distribuído com muito cuidado para que, num possível conclave, haja representação dos vários países e dos continentes.

“Na alegria do Senhor”

Dom Damasceno, que participa em Roma do Sínodo para os Bispos do Oriente Médio, tem 73 anos e foi secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) por dois mandados (1995 a 1998 e 1999 a 2003).
Mineiro de Capela Nova, o novo cardeal foi ordenado padre no dia 19 de março de 1968 para a Arquidiocese de Brasília. Nomeado bispo auxiliar de Brasília em 1986, recebeu a ordenação episcopal no dia 15 de setembro do mesmo ano e adotou como lema “Na alegria do Senhor”. Em janeiro de 2004, foi transferido para a Arquidiocese de Aparecida. Em julho de 2007, na 31ª Assembleia Ordinária do CELAM, realizada em Havana, foi eleito presidente daquele organismo para o quadriênio 2007-2011. Também foi nomeado membro da Pontifícia Comissão para América Latina no dia 8 de setembro de 2009.

Com pós-graduação em Filosofia da Ciência pela Universidade de Brasília (UnB) e pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), Dom Damasceno fez filosofia no Seminário Maior de Mariana, em Minas Gerais, e teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.

Os novos cardeais

Membros da Cúria Romana: Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos; Fortunato Baldelli, penitenciário mor; Raymond Leo Burke, prefeito da Assinatura Apostólica; Velasio De Paolis, prefeito para os Assuntos Econômicos e comissário dos Legionários de Cristo; Francesco Monterisi, arcipreste da Basilica Romana di São Paulo fora de Muros; Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para o Ecumenismo; Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício para a Cultura; Paolo Sardi, propatrono da Ordem de Malta; Robert Sarah, presidente do Conselho Pontifício Cor Unum e Mauro Piacenza, prefeito da Congregação para o Clero.

Que não desempenham cargos na Curia Romana: Antonio Naguib, patriarca de Alexandria dos Coptas (Egito), e relator geral do sínodo para o Médio Oriente que decorre no Vaticano; Paolo Romeo, arcebispo de Palermo (Itália); Reinhrad Marx, arcebispo de Munique (Alemanha); Kazimierz Nycz , arcebispo de Varsóvia (Polônia); Donald William Wuerl, arcebispo de Washington (EUA); Laurent Monsengwo Pasinya, arcebispo de Kinshasa (Congo); Medardo Joseph Mazombwe, arcebispo emérito de Lusaka (Zambia); Albert Malcom Ranjith Patanbendige Don, arcebispo de Colombo (Sri Lanka); Raul Eduardo Vela Chiriboga, arcebispo emérito de Quito (Equador); Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida (Brasil).

Os novos cardeais não eleitores, com mais de 80 anos de idade são: Elio Sgreccia (Itália), ex-presidente da Academia Pontifícia para a Vida; José Manuel Estepa Llaurens (Espanha), ex-arcebispo militar na Espanha, colaborador na redação do Catecismo da Igreja Católica e responsável pela versão espanhola; Walter Brandmueller (Alemanha), ex-presidente da Comissão de Estudos Históricos e Domenico Bartolucci (Itália), ex-diretor musical da Capela Sistina.

*Fonte: Rádio Vaticano e CNBB


Padre Marcelo Rossi ganha título de Bento XVI


O Papa Bento XVI concedeu nesta quarta-feira, dia 20 de outubro, o Título de Evangelizador do Ano ao Padre Marcelo Rossi. O Blog da Capela o parabeniza por esta nova conquista na vida do incansável Padre Marcelo Rossi.
*Fonte: Rádio Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva no quadro ABAIXO seu comentário sobre esta postagem!

Translate